Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


ESCURIDÃO

moacircaetano
A escuridão chegou sem pedir licença. trouxe velhos amigos como a tristeza a depressão o desespero as lágrimas. veio e se instalou como se nunca tivesse ido embora como se todos os dias de sol alegria nada fossem. como se nunca houvesse deixado de existir. então algo brotou da escuridão. alguma coisa quente fúlgida mística súbita sucubus sonhos insônia. alguma coisa salvou-me do medo e me levou. acho que não quero voltar!


 Escrito por moacircaetano às 09h58
[ ] [ envie esta mensagem ]



RAIO

moacircaetano

Um raio percebe-se

na escuridão

inútil, em tese

(inútil, então)!

 

Um raio que chega

e traz o trovão

sabor de cereja

sabor de vulcão

 

Um raio que dorme

na dor do senão

um raio que morre

um raio que não

 

se sabe destino

ou mesmo prisão

um raio, apenas

um raio no chão.




 Escrito por moacircaetano às 19h31
[ ] [ envie esta mensagem ]



Ayrton Senna


Embora esteja meio cliché falar em Ayrton Senna nesses últimos dias, não posso me furtar de comentar as cenas que vi hoje na TV. Quando Ayrton estava vivo, fui fanático por Fórmula 1, daqueles loucos, de colecionar recortes, comprar revistas nacionais e estrangeiras, de saber tudo sobre a categoria (e especialmente sobre ele) numa época em que não existis internet, e informação era um artigo raro e caro. Mas confesso que a superexposição do poiloto e, principalmente do homem Senna após sua morte me incomodava. De repente, todo mundo passou a ser fã nº 1 do cara. As mesmas pessoas que nunca tinham assistido a um minuto sequer de uma corrida diziam-se entendidas acerca do assunto. E junto veio um monte de baboseiras como dizer que Senna previu sua morte, que Deus tinha aparecido pra ele... Me recolhi.

Continuei assistindo Fórmula 1, e acompanhei a asséptica evolução do profissionalismo e da tecnologia exacerbada, que culminaram no domínio sem adversários e nos atos ensaiados de Michael Schumacher.

Por isso hoje, quando vi a luta de Ayrton Senna para vencer com uma só marcha o GP Brasil. os gritos insanos que o garoto - o homem, e não somente o piloto - berrava dentro do capacete, me arrepiei. E quando revi, no pódio, a força quase descomunal para um gesto a princípio tão simples como o de levantar a taça de campeão, enquanto as lágrimas se misturavam ao suor do seu rosto; percebi então que nada nesse circo que acompanho ainda hoje todos os domingos é sequer uma sombra pálida do que um dia presenciei.

Não sei se existe céu ou inferno, mas sei que em algum lugar tem que existir lugar pra pessoas como o Ayrton. Tem que existir lugar pra pessoas como eu. E como você...




 Escrito por moacircaetano às 17h33
[ ] [ envie esta mensagem ]



primogênito

valéria tarelho - http://www.valeriatarelho.blogger.com.br/
meu primeiro verso
tem apenas dois aninhos :
é ingênuo
mal articula as frases
tropeça nas rimas
e ainda usa fraudes.
Blogado ao som de "Only Happy When It Rains" - Garbage
"I´m only happy when it rains
I feel good when things are going wrong
I only listen to the sad, sad songs
I`m only happy when it rains..."


 Escrito por moacircaetano às 12h56
[ ] [ envie esta mensagem ]



SAMARA

moacircaetano


Teus olhos rasgaram então a escuridão

Enquanto o sono ainda me assombrava
enquanto nada ainda era definitivo

O meu sonho se viu refletido
na cápsula que te emoldurava

E teus olhos não deixaram os meus
mesmo depois , nem mesmo agora

e da artificial aurora
sorriram-me os corifeus

E já não eram apenas dois olhos
que nunca veriam meus olhos
eram mistério, ausência, desvios
eram o impossível

vivendo dentro de mim...





 Escrito por moacircaetano às 14h59
[ ] [ envie esta mensagem ]




Não precisa ser definitivo. Não precisa tampouco ser provisório. Na verdade, não precisa ser nada. Basta ser.
Basta teus olhos continuarem brilhando assim. Basta teu sorriso dançar em teu rosto dessa maneira deliciosa.
Basta tuas palavras se banharem de ternura e carinho como agora. Basta ser você.
E o sol está radiante!!!


 Escrito por moacircaetano às 11h35
[ ] [ envie esta mensagem ]



TRECHO



 Escrito por moacircaetano às 11h29
[ ] [ envie esta mensagem ]



GOLPE DE ESTADO

moacircaetano


Minas terrestres em uma favela do Rio de Janeiro
Garimpeiros mortos, índios agonizantes em algum lugar em Rondônia
A violência já comum nas ruas da Palestina, nos becos de Israel

E aqui dentro do meu peito
um milhão de crianças choram
exércitos se reorganizam
e amanhã mesmo o governo será derrubado...


Blogado ao som de "Israel" - Os Incríveis
"Em vez de pão pra minha fome
me deram aço
para o meu corpo..."


 Escrito por moacircaetano às 11h17
[ ] [ envie esta mensagem ]



POST RANDÔMICO

 
  • Pegue o livro mais próximo de você.
  • Abra o livro na página 23.
  • Ache a quinta frase.
  • Poste o texto em seu blog junto com estas instruções.
Anuar Maron botara casa para Jove, retirara-a da zona, queria-a exclusiva, não admitia que outro cavalgasse alimária do seu pasto.
(A Descoberta da América pelos Turcos - Jorge Amado)

Coisas de Paula Manzo.


Blogado ao som de "Freak on a Leash" - Korn
"Feeling like a freak on a leash
Felling like I have no release
Everytime I start to believe
Something´s rapen and taken from me..."


 Escrito por moacircaetano às 12h11
[ ] [ envie esta mensagem ]



HOJE

moacircaetano


Hoje
somos alma, alvo, troféu
somos dois, somos um, nada somos
estranhos, mudos, mutantes
pide, naufrágio, raizes, metástase

Hoje somos belos, rijos, puros
prenhes de tesão
Hoje
mistérios revelados, julgamento
co
rpo de jurados, veredito
caso encerrado.




 Escrito por moacircaetano às 23h19
[ ] [ envie esta mensagem ]



HAICAIS PAULISTANOS (trechos)

Glauco Mattoso


Um haicai sem rima
parece clima nublado:
Sombra de obra-prima.

Tudo se reduz
ao produto da ferida:
poesia e pus.

Se o governo trai,
vai pra puta que o pariu!
Voto não tem pai.

Um defunto horrendo.
Bem do fundo brota vida:
vermes se mexendo.

Catinga no ar:
carne, sangue, pus, catarro...
Lixo hospitalar.

Merda dura é foda:
sai sem dó da tripa e — Ai! —
corrói a hemorróida.

Sai menos fedor
se a merda for arejada
no ventilador?

Cadáver no asfalto.
Do alto do viaduto
aplaudem o salto.


Blogado ao som de "Friend is a Four-Letter Word" - Cake
"Call me morbid or absurd
But to me, coming from you,
friend is a four-letter word..."


 Escrito por moacircaetano às 17h17
[ ] [ envie esta mensagem ]



MULHER

moacircaetano


decifra-me

E te devoro.


Blogado ao som de "Hello" - Evanescence
"Don´t try to fix me,
I´m not broken..."



 Escrito por moacircaetano às 22h44
[ ] [ envie esta mensagem ]



DESPOJAMENTO

Ivo Barroso


Eliminei o excesso de paisagem

simplifiquei toda a decoração

retirei quadros flores ornamentos

apaguei velas copos guardanapos

e a música

 

Bani a inutilidade do discurso

 

Na mesa de madeira

nua

apenas dois pratos

brancos

sem talheres

 

O banquete será tua presença


Blogado ao som de "Get Together" - The Youngbloods



 Escrito por moacircaetano às 22h57
[ ] [ envie esta mensagem ]



RESTOS

Carlos Drummond de Andrade


O amor, o pobre amor estava putrefato.

Bateu, bateu à velha porta, inutilmente.

Não pude agasalhá-lo: ofendia-me o olfato.

Muito embora o escutasse, eu de mim era ausente.


Blogado ao som de "Return to Saturn" - No Doubt



 Escrito por moacircaetano às 21h13
[ ] [ envie esta mensagem ]



INSTINTO

moacircaetano


Ela adentrou o recinto.

Como se nada existisse. como se tudo o que a circunda fosse nada. como se as paredes os móveis o piso o teto as lâmpadas o ar a temperatura do ambiente o aparelho de ar condicionado as  pessoas principalmente as pessoas não existissem. como se eu não existisse. seus pés não chegavam a tocar o chão que chão? seus pés flutuavam como folhas ao vento numa manhã fria de outono suas mãos suspensas no espaço carregavam toda a leveza do mundo e seus olhos viajavam através de mim explicitando o nada em que eu havia me tornado.

Quando ela parou o próprio giro da Terra se inverteu galáxias inteiras se desintegraram e em algum lugar remoto deuses deixaram de existir. um brilho intenso explosão de um milhão de sóis cegou meus olhos meus ouvidos um zumbido intenso infindo insano e do fundo da minha alma apenas um sussurro se ouviu sofrido estupefato agradecido.

Naquela noite não dormi e nem nas quinhentas e trinta e sete subsequentes...


Blogado ao som de "Heart-Shaped Box" - Nirvana



 Escrito por moacircaetano às 19h00
[ ] [ envie esta mensagem ]



DALTON TREVISAN


          -Por que não me enterra a faca no coração? É mais perversa. Corta uma lasquinha, mal sai sangue. Outro tantinho, raga gentilmente. Cada dia, na pinça de relojoeiro, arranca um fio de pele. Olhe para mim, assassina. Todo em carne viva. O corpo inteiro esfolado. E você, lambendo as unhas, impune. É o crime perfeito.
          -Maria, eu amo você. Não posso viver longe.

          -Você não me ama. Está bêbado. Confunde amor com orgulho. Muito ferido. É um leão que lambe as feridas.

          -Ah, leão, é? Quer saber? O que sou?

          -...

          -Uma vaca velha atolada no brejo. Perdida, já não se mexe. Sem força de mugir.

          -...

          -Não é que uma brisa mais doce alivia o mormaço, espanta a varejeira, promete chuva?

          -...

          -A brisa é você, Maria.




 Escrito por moacircaetano às 16h10
[ ] [ envie esta mensagem ]



ABECEDÁRIO

moacircaetano


O início

alegre constatação

sublime contentamento

torpor

mansidão

a força

o afã do momento

a colorização instantânea de tudo que se vê

sons insuspeitos pairam no ar

flutuam

seu corpo flutua

sua mente

seu espírito

cada mísera parte do seu ser flutua

e tudo é sorriso

tudo é humildade perante o sonho

todas as coisas belas e suaves do mundo

residem em seu peito

e ali se reproduzem

estáticas, à espera de colheita...

O desenvolvimento

solidão

a ausência estúpida e insone

necessidade imperiosa

de ver tocar sentir cheirar beijar morrer florir

sorrir viver pensar correr chorar sorver sortir

necessidade única e simples

de estar ao lado

compartilhando

respirando o mesmo ar

agarrar o impossível...

e os dois pares de mãos

projetados desde o início dos tempos para o toque mútuo

estão vazios

prenhes da espera e do medo

carregados da palavra não!

e tudo o que era presença

breve se torna saudade

e um minuto se transmorfa

limiar de eternidade

O fim

?

(ruídos de sala de espera)

¯

(um rádio toca ao fundo uma canção antiga)

...

(respiração hesitante)

  

(som de sangue e morte na sala ao lado)...




 Escrito por moacircaetano às 13h33
[ ] [ envie esta mensagem ]



INSÔNIA

moacircaetano
O inseto o inseto bate as asas sem parar o besouro bate as asas e eu paro a leitura e eu paro com o livro e eu paro paro ler e o besouro bate bate bate as asas e levanto e procuro e encontro o chinelo o besouro deixo o livro e golpeio e o besouro bate as asas lá no chão já esmagado amassado estrunchado chinelado bate bate e eu não leio e eu não vejo e as letras são besouros e as letras batem asas e eu mato todas elas e chinelo e mosquete estilingue inseticida eu mato uma a uma e elas caem amassadas chineladas estilingadas mosquetadas insetiçadas e batem asas os besouros os insetos e as letras todos todos mesmo tempo meus cabelos batem asas meus chinelos batem asas meus mosquetes estilingues meus besouros minhas letras meus insetos meus cabelos batem asas fecho livro facho livro fóssil livro osso livro aço livro isso livro isso lavro isso louvo isso lavo isso levo devo nego negro cetro trono trino inconstitucionaliscimamente
Blogado ao som de "Dançando no Campo Minado" - Engenheiros do Hawaii


 Escrito por moacircaetano às 13h28
[ ] [ envie esta mensagem ]



MULHER É BOM E EU GOSTO...


ANALICE NICOLAU


Blogado ao som de "Bringing Down the Horses" - Wallflowers



 Escrito por moacircaetano às 16h50
[ ] [ envie esta mensagem ]



UMA MULHER

Bruna Lombardi


Uma mulher caminha nua pelo quarto

é lenta como a luz daquela estrela

é tão secreta uma mulher que ao vê-la

nua no quarto pouco se sabe dela

 

a cor da pele, dos pelos, o cabelo

o modo de pisar, algumas marcas

a curva arredondada de suas ancas

a parte onde a carne é mais branca

 

uma mulher é feita de mistérios

tudo se esconde: os sonhos, as axilas, a vagina

ela envelhece e esconde uma menina

que permanece onde ela está agora

 

o homem que descobre uma mulher

será sempre o primeiro a ver a aurora.




 Escrito por moacircaetano às 20h59
[ ] [ envie esta mensagem ]



REGRESSÃO

moacircaetano


Ele ainda não sabia o que estava fazendo ali.

Dissera a si mesmo mais de um milhão de vezes que não faria aquilo de novo jurou secretamente que seria forte que nada o deteria novamente que diria tudo o que estava engasagado em sua garganta há tanto tempo e ainda assim insistia em se recolher.

Mas todo o esforço vontade consciência dignidade coragem só duraram o tempo suficiente para que aqueles olhos pousassem nos seus e lhe dissessem que não importa o que ele fizesse ele não era ninguém.

Agora ali estava ele deitado em sua cama sem nenhuma lágrima nenhum sorriso nenhum pensamento lógico apenas um bloco de concreto em seu peito e um urro nascendo em algum lugar entre seu estômago e seu cérebro.


Blogado ao som de "Splinter" - Offspring



 Escrito por moacircaetano às 20h48
[ ] [ envie esta mensagem ]



UM ESTRANHO EM MIM


Engraçado...

Esse poema aí embaixo é bem típico de algo que ocorre sempre comigo: a dualidade.

Tenho uma certa tendência - destrutiva, segundo alguns; encantadora, na opinião de outros - de ser diferente (ou de estar diferente) do que já fui. De não ser hoje como fui ontem. De me portar, ou me comportar, ou me reportar de forma diversa do esperado. Juro que não é por mal! É que eu sou assim mesmo.

E muito me admira não ser todo mundo assim! Será possível que uma pessoa, vivendo dezenas de fatos novos por dia, conhecendo centenas de pessoas ao longo de sua vida, lendo, vendo filmes, ouvindo músicas, se manter a mesmíssima pessoa, sem que ao menos uma dessas milhares de influências o transforme? Ou eu sou muito influenciável, ou todo mundo ao meu redor é uma fortaleza intransponível.

Deconfio que na verdade todos nadam o tempo todo contra a corrente. Ninguém quer dar o braço a torcer. Ninguém quer ser privado de suas certezas inalienáveis. Mas estão perdendo algo precioso: a chance de viver o novo, aquela sensação indescritível de entrar pela primeira vez em um lugar nunca antes explorado. A chance de conhecer alguém que poderá mudar sua vida por completo, fazendo do mundo um lugar excitante, intocado e cheio de possibilidades: a chance de conhecer a si próprio!




 Escrito por moacircaetano às 11h34
[ ] [ envie esta mensagem ]



moacircaetano

Quando                        eu                      pousar a mão na chave

ligada àquela                  porra                  de cadeira elétrica

elétrica

elétrica

elétrica

 

não chore           POR FAVOR           não chore

esqueça os seus lamentos sentidos

                     E

não dê esses gritos insanos

                    S

não implore, não pragueje, não solte

                    Q

da boca essa maldita língua

                    U

para nada a não ser o silêncio

                    E

propício a tão doce momento

                    Ç

silênciosilênciosilênciosilênciosilênciosilênciosilênciosilênciosilênciosilêncio

                    A

 

tenha ao menos um resquício de dignidade

                                                                              enfie seu fodido eu numa droga de gaveta

e morra!



 Escrito por moacircaetano às 17h10
[ ] [ envie esta mensagem ]



QUEM SABE?

moacircaetano

Quem sabe hoje, quem sabe amanhã?

Quem sabe tua pele de romã?

Quem sabe se és tu ou se sou eu?

Quem sabe de onde isso nasceu?

 

Quem sabe se é quente ou se é frio?

Quem sabe se é sublime ou se é vil?

Quem sabe se somos um e outro loucos,

ou se tudo isso ainda é pouco?

 

Quem sabe, por favor, me esclareça:

se é no coração ou na cabeça

que se enreda essa trama tragicômica

que me deixa trêmulo, e a ti atônita!

 

Quem sabe se é real ou fantasia?

Quem sabe se é de noite ou de dia?

Quem sabe se é apenas ilusão

o que parece agora preenhe de razão?

 

Quem sabe se sou eu e meu engano

que insistem em sorver o oceano,

Ou se realmente os teus olhos sussurraram

o que minhas antenas captaram?

 

Quem sabe se sou eu ou se é você?

Quem sabe se há algo pra saber?

Eu só sei que o meu corpo de homem

só grita agora o teu maldito nome!


Blogado ao som de "We Care a Lot" - Faith no More



 Escrito por moacircaetano às 17h02
[ ] [ envie esta mensagem ]



NÍQUEL NÁUSEA

Fernando Gonzales





 Escrito por moacircaetano às 11h05
[ ] [ envie esta mensagem ]



COMENTÁRIO A RESPEITO DE JOÃO

moacircaetano

João sacode a pança

João só quer trabalhar

João não sabe a dança

Das horas, cruéis a rodar

 

João é um inocente

O mundo pra ele é de vidro

João não ouve nem mesmo

O que lhe chega ao ouvido

 

Na maquinaria do mundo

João é roda dentada

Não sabe escrever seu nome

Não sabe nem tabuada

 

Análise crítica, então!

Não sabe nem soletrar!

Se vota, é por obrigação

Um dia pra se feriar

 

João tem mulher, tem três filhos

Tem vale, tem conta no bar

João assenta ladrilhos

João não sabe chorar

 

João trabalha no campo

É motorista, é cobrador

João só viu na novela

O tal do computador

 

João é aquele camelô

Que oferece CD pirata

João distribui folhetos

João é o rei da lata

 

João é servente, é pedreiro

É office-boy, é coveiro

João vai a pé pra escola

é encanador, pipoqueiro

 

João leva o filho no posto

Do SUDS, se manda pro HUGO

E encontra lá dentro Joões,

Como ele, são todos refugo

 

Seu ideal de lazer

É o bilhar do português

O seu salário em geral

Não passa do meio do mês

 

E é dele que o Brasil vive

É ele quem gira o moinho

E no entanto lhe viram as costas

Lhe deixam fodido e sozinho

 

A ciranda financeira o desconhece

Não o vê o Congresso Nacional

a não ser durante eleição

novo voto, velho curral

 

E aos trancos, ele vai indo

Comprando hoje pra pagar amanhã

Vendendo saúde em troca de pão

Penhorando na Caixa o seu elàn

 

E aos poucos sua luz se apaga

Até que se extingue, silenciada

Além da sua casa, ninguém sentiu falta

Nem no bilhar, nem no Palácio da Alvorada.




 Escrito por moacircaetano às 11h47
[ ] [ envie esta mensagem ]



AINDA HOJE

moacircaetano


Ainda hoje

vou roubar teu raio de sol

vou correr, de farol em farol

beijar teus olhos, arrancar teus pelos

ainda hoje — e saiba que dói!

 

Ainda hoje

vou sugar teu último suspiro

dar um giro em torno da Terra

espinho, calor, motosserra

e lesões, ainda hoje.

 

E hoje mesmo

perfurar teu corpo inquieto

quarenta e um graus, febre

e a cura, ainda hoje.

 

Ainda hoje

quero correr cada centímetro da tua pele ensandecida

morrer e renascer em forma indefinida

             só pra ser você, pra sempre e ainda hoje.


Blogado ao som de "Love Profusion" - Madonna



 Escrito por moacircaetano às 11h43
[ ] [ envie esta mensagem ]



VALÉRIA - http://www.valeriatarelho.blogger.com.br/

te amo (acho)

eu te amo
torto
errado
do avesso
te amo acelerado
a mais de cem
na contramão
amo-te
porque és contravenção

eu te amo
do meu jeito imperfeito
: te amo sim
te amo não
te amo sei lá como
e por que não?

eu te amo
por vício
ócio
tédio
tentação
e te amo por preguiça
porque não tem remédio
e o perigo me atiça

eu te amo
por tabela
pelas beiras
nas quebradas
ribanceiras
juro que te amo
por puro ataque de bobeira
e por qualquer bagatela

eu te amo
anti-horário
em outro fuso
fora de orbe
te amo desnorteada
sem rumo
entregue à sorte
de amar-te fora do prumo
(devolve o Norte
da minha bússola!)

eu te amo
vassala
gueixa
escrava
te amo sem queixas
sem mágoas
sem receber minha paga
em amor
(quer saber? eu te amo mesmo
é prestando um favor!)

eu te amo
no outono, os ramos secos
no inverno, o gelo
na primavera, os espinhos
no verão...
ah! no verão não te amo não
: você é liquefacto
e te amo pedra no meu sapato

eu te amo
másculo
rato
inseto
te amo só de longe
(que, de perto, sinto asco)
te amo, também, porque não presto

eu te amo
fração ordinária
te amo logaritmo
(só porque o nome é feio)
eu meio que te amo
porque inteiro, é excesso
e você escassa
por isso te amo a falta
o pouco
o naco de nada

eu te amo
por um ano a fio
(que a vida toda é um saco)
te amo parco
(que muito, é porre)
eu te amo como quem morre
de infarto

eu te amo
fora dos trilhos
dos eixos
de tudo que se encaixa
e se completa
e te amo aos solavancos
: soluços são estribilho
no meu poema manco

eu te amo
emralhabado
sopa de letras insossa
palavras cruzadas
sem banco de respostas
te amo assim
: destemperado
complicado e tosco

eu te amo
muito mal e sem igual
de um jeito diferente
: sem cor, ação, som
e te amo mais
quando você mente, coração

eu te amo
andarilho
maltrapilho
esfarrapado
(convenhamos, você é lindo
engravatado
: fora do meu padrão)

eu te amo
como uma frase feita
um dilema
um estratagema
: digo que te amo
como quem não ama
e amando, não amando
vou à luta armada
deixando-te na dúvida

eu te amo
o modo inacabado
impaciente
debochado
amo quando calas o que sentes
amo, ainda, quando engulo
orgulho e grito

eu te amo
ou finjo
invento
inverto os fatos?
(há tanto tempo minto
que nem sei
no que acredito)

resumindo
: eu te amo
(se não me engano)
e duvido que outra tonta
te ame tanto.


valéria tarelho


 Escrito por moacircaetano às 15h28
[ ] [ envie esta mensagem ]



E UM DIA

Laura Riding

Tradução de Rodrigo Garcia Lopes


O curso de um dia nunca é constante.                                                                                                The course of a day is never steady.

As horas experimentam dor e prazer.                                                                                      The hours experiment with pain and pleasure.

Na hora da cama só conhece vertigem.                                                                                               By bedtime all you know is giddiness.

Mas quanto dura um dia?                                                                                                                                     But how long is a day?

Tanto quanto o amor, dizem uns.                                                                                                                     Some say as long as love.

Mas o amor vai embora cedo,                                                                                                                            But love leaves off early,

Antes que o amanhã e a morte se manifestem.                                                                                        Before tomorrow and death set in.

E quanto tempo dura o dia-a-dia?                                                                                                             How long has day on day been?

Uns dizem desde sempre.                                                                                                                                         Some say for ever.

Mas começando quando?                                                                                                                                  But starting from when?




 Escrito por moacircaetano às 07h35
[ ] [ envie esta mensagem ]



No mesmo instante em que pela primeira vez                                                                                               From no sooner than first when

Os olhos se arregalaram e não viram tudo_                                                                                               Eyes opened far and saw not all_

Numa tarde tão tarde quando, pela última vez,                                                                                               From no later than last when

O tempo durou não mais que um dia,                                                                                                      Was time for no more than a day,

Um dia de adivinhar:                                                                                                                                                A day of guessing:

Por quanto tempo é permitido                                                                                                                             How long is it permitted

Chamar de tanto o que é tão pouco?                                                                                                           So little done so much to call?




 Escrito por moacircaetano às 07h22
[ ] [ envie esta mensagem ]



ACABEI DE VER...

Dolls


Assistir a um filme oriental sempre me deixa com uma sensação de falta de ar.

Cores vivas, fortes; enquadramento de câmera inusual; o ritmo lento e delicado, como se cada fotograma fosse uma pintura. Os filmes orientais não são para serem assistidos. São para serem admirados. Devem ser sorvidos lentamente, cada gota acrescentando novas texturas e paisagens ao seu paladar.

Dolls não é diferente. Em sua explosão de cores, que rouba toda a dimensão da tela e cada um dos nossos sentidos. Em sua perspectiva oriental de vida, onde todos os fatos se relatam e interagem, fazendo da vida uma teia intrincada de ações e conseqüências. Em sua visão ainda mais oriental do amor, da honra e dos sentimentos.

Um filme para quem gosta de poesia. Para quem gosta de silêncio entre as árvores. Para quem gosta do antigo e triste exercício de viver à sombra de um amor impossível.

Saia do cinema e dê um segundo para si mesmo. Antes de mergulhar na confusão de cores, sons e ruídos do shopping, antes de se injetar a dose diária de trânsito, fumaça e cacofonia urbana. Dê um segundo a si mesmo e lembre-se que existe uma coisa que guia nossos passos desde que o mais antigo de nós caminhou sobre o seus próprios pés: uma coisa chamada Amor. Pelo outro, pela vida, por si próprio.


Blogado ao som de "Prolonging the Magic" - Cake



 Escrito por moacircaetano às 07h08
[ ] [ envie esta mensagem ]



// eu vou pegar.... eu vou pegar...

Roubei esse post do site http://fimdamente.org/babyblog

Mas vê se não compensou roubá-lo:


eu ando percebendo que, por onde quer que eu vá, há duas coisinhas pequenas e roliças, muito parecidas com as minhas mãos - só que com dedos menores - me seguindo. essas duas coisinhas se mexem muito, especialmente quando eu estou alegre ou empolgada, como por exemplo quando brinco com alguém.

agora, com toda essa perseguição, eu encasquetei que tenho de conseguir pegá-las! não parece muito difícil, já que elas nunca parecem estar muito longe... já até consigo chegar bem perto delas com minhas mãozinhas!

olha! mamãe tirou uma foto delas!

pezinhos.jpg


viram só? não vale a tentativa?


 Escrito por moacircaetano às 16h20
[ ] [ envie esta mensagem ]



SOLIDÃO EXPRESS

moacircaetano


Não sabia mais o que fazer para salvar seu casamento.

Tanto ele quanto a mulher sabiam que nada daquilo dava mais certo. as brigas constantes a falta de carinho a imobilidade das intenções um fosso profundo impenetrável e seu jorro inesgotável de indiferença e amargor.

Naquela manhã ele acordou com a nítida impressão do fim. sentou-se ao seu computador e acessou um site de acompanhantes. iria sair com a garota mais bonita do site fodê-la a manhã inteira a tarde inteira a noite inteira chegar em casa contar tudo pra mulher e depois ir embora pra sempre.

A mulher era linda o valor combinado nem era tão alto a cama do motel macia e quente. não fodeu-a a manhã inteira nem a tarde inteira muito menos a noite inteira. foram apenas quarenta minutos. no caminho de volta pra casa nunca se sentiu tão vivo o mundo vibrava o céu era azul novamente as cores de todas as coisas atingiam seus olhos em raios fulgurantes. quando chegou em casa fodeu sua mulher com vigor com carinho e prazer.

Estão juntos até hoje.




 Escrito por moacircaetano às 15h57
[ ] [ envie esta mensagem ]



Personality Disorder Test Results


Disorder Rating

Paranoid:                       Low

Schizoid:                       Low

Schizotypal:                   High

Antisocial:                      Moderate

Borderline:                      Moderate

Histrionic:                       Very High

Narcissistic:                    High

Avoidant:                        Moderate

Dependent:                      High

Obsessive-Compulsive:      High

Paranoid
Paranoid personality disorder is characterized by a distrust of others and a constant suspicion that people around you have sinister motives. People with this disorder tend to have excessive trust in their own knowledge and abilities and usually avoid close relationships with others. They search for hidden meanings in everything and read hostile intentions into the actions of others. They are quick to challenge the loyalties of friends and loved ones and often appear cold and distant to others. They usually shift blame to others and tend to carry long grudges.

Schizoid
People with schizoid personality disorder avoid relationships and do not show much emotion. They genuinely prefer to be alone and do not secretly wish for popularity. They tend to seek jobs that require little social contact. Their social skills are often weak and they do not show a need for attention or acceptance. They are perceived as humorless and distant and often are termed "loners."

Schizotypal
Many believe that schizotypal personality disorder represents mild schizophrenia. The disorder is characterized by odd forms of thinking and perceiving, and individuals with this disorder often seek isolation from others. They sometimes believe to have extra sensory ability or that unrelated events relate to them in some important way. They generally engage in eccentric behavior and have difficulty concentrating for long periods of time. Their speech is often over elaborate and difficult to follow.

Antisocial
A common misconception is that antisocial personality disorder refers to people who have poor social skills. The opposite is often the case. Instead, antisocial personality disorder is characterized by a lack of conscience. People with this disorder are prone to criminal behavior, believing that their victims are weak and deserving of being taken advantage of. They tend to lie and steal. Often, they are careless with money and take action without thinking about consequences. They are often agressive and are much more concerned with their own needs than the needs of others.

Borderline
Borderline personality disorder is characterized by mood instability and poor self-image. People with this disorder are prone to constant mood swings and bouts of anger. Often, they will take their anger out on themselves, causing themselves injury. Suicidal threats and actions are not uncommon. They think in very black and white terms and often form intense, conflict-ridden relationships. They are quick to anger when their expectations are not met.

Histrionic
People with histrionic personality disorder are constant attention seekers. They need to be the center of attention all the time, often interrupting others in order to dominate the conversation. They use grandiose language to discribe everyday events and seek constant praise. They may dress provacatively or exaggerate illnesses in order to gain attention. They also tend to exaggerate friendships and relationships, believing that everyone loves them. They are often manipulative.

Narcissistic
Narcissistic personality disorder is characterized by self-centeredness. Like histrionic disorder, people with this disorder seek attention and praise. They exaggerate their achievements, expecting others to recongize them as being superior. They tend to be choosy about picking friends, since they believe that not just anyone is worthy of being their friend. They tend to make good first impressions, yet have difficulty maintaining long-lasting relationships. They are generally uninterested in the feelings of others and may take advantage of them.

Avoidant
Avoidant personality disorder is characterized by extreme social anxiety. People with this disorder often feel inadequate, avoid social situations, and seek out jobs with little contact with others. They are fearful of being rejected and worry about embarassing themselves in front of others. They exaggerate the potential difficulties of new situations to rationalize avoiding them. Often, they will create fantasy worlds to substitute for the real one. Unlike schizoid personality disorder, avoidant people yearn for social relations yet feel they are unable to obtain them. They are frequently depressed and have low self-confidence.

Dependent
Dependent personality disorder is characterized by a need to be taken care of. People with this disorder tend to cling to people and fear losing them. They may become suicidal when a break-up is imminent. They tend to let others make important decisions for them and often jump from relationship to relationship. They often remain in abusive relationships. They are overly sensitive to disapproval. They often feel helpless and depressed.

Obsessive-Compulsive
Obsessive-Compulsive personality disorder is similar to obsessive-compulsive anxiety disorder. People with this disorder are overly focused on orderliness and perfection. Their need to do everything "right" often interferes with their productivity. They tend to get caught up in the details and miss the bigger picture. They set unreasonably high standards for themselves and others, and tend to be very critical of others when they do not live up to these high standards. They avoid working in teams, believing others to be too careless or incompetent. They avoid making decisions because they fear making mistakes and are rarely generous with their time or money. They often have difficulty expressing emotion.

Do it yourself:

http://www.4degreez.com/misc/personality_disorder_test.mv


Blogado ao som de "Mellon Collie and Infinite Sadness" - Smashing Pumpkins



 Escrito por moacircaetano às 11h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



ELEFANTE

moacir caetano


Ele nunca havia visto um elefante.

Claro que já tinha visto um elefante. mas apenas em fotografias histórias em quadrinhos desenho animado globo repórter enciclopédia barsa. conhecia também a história do elefante dumbo. já tinha ouvido o porque do elefante ser preso somente com uma cordinha numa estaquinha no chão quando pode arrebentar tudo aquilo e ir embora. é porque ele era preso na estaquinha bem pequenininho e aí ele não conseguia sair mesmo e quando ele crescia ele achava que continuava não dando conta.

Mas ele nunca tinha visto um elefante ao vivo.

Uma vez ele foi ao zoológico com sua mãe mas ela não agüentava o cheiro daquilo tudo então mal tinham começado a ver os macacos quando ela ficou horrorizada com um deles se masturbando e foi embora e ele teve que ir embora com ela.

Ontem ele completou trinta e quatro anos e resolveu conhecer um elefante. deixou a mulher e os filhos em casa de manhã ligou para o emprego disse que estava com diarréia e foi ao zoológico. viu o macaco se masturbando. viu um monte de cágados ou tartarugas ou jabutis não sabia bem. viu um leão triste sem dentes refastelado no cimento quente. viu um monte de bicho que nunca tinha visto. deixou o elefante por último.

quando chegou a hora deu as costas e foi embora.


Blogado ao som de "Elephant" - White Stripes



 Escrito por moacircaetano às 19h04
[ ] [ envie esta mensagem ]



LET´S TALK ABOUT SEX?

Angeli



Blogado ao som de "St Anger" - Metallica



 Escrito por moacircaetano às 14h28
[ ] [ envie esta mensagem ]