Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


DECCA

moacircaetano


Os cabelos, maravilhosos
tingem de vermelho o pôr-do-sol
e nada mais importa, nada mais
nada além da tua urgência,
da tua presença na distância...

Vozes se ouvem na escuridão
rasgando de luz o instante
Uma voz sem voz, um sussurro
mas que tem rosto agora, uma voz
inebriante...





 Escrito por moacircaetano às 07h57
[ ] [ envie esta mensagem ]



PAUSE/STILL

moacircaetano


Covered in silence
I could hardly hear your voice
I tried, I promise
I tried to reach your last sight
But instead
I just got that taste of nothing
some bruises in my skin
and these voices in my head...



 Escrito por moacircaetano às 07h13
[ ] [ envie esta mensagem ]



FILMES PROIBIDOS - TRECHO

Bruna Lombardi


   Você percebe um ponto interno de corrupção. Um sinal vermelho. Não avançar,diz o aviso. É melhor cair fora e você sabe disso. É o momento certo de dizer não. Virar as costas e dizer não.

   Você detecta sua forte atração pelo proibido. E vai indo, está indo, está desobedecendo seu bom senso e se deixando levar. Maldita curiosidade.

   "E por que não fazer a escolha errada?" , perguntei a mim mesma.

   "Você é uma idiota. Completamente louca e idiota" , me respondi.

   Certas pessoas preferem o Inferno. Um lugar particular onde deixam na porta todas as culpas acumuladas.

   Deveria constar da sua ficha técnica: pessoa obsessiva.

   Você não se importa. A lâmpada acende, pisca. Soa o alarme. Você ouve a sirene, sabe que ultrapassar significa perigo, que é território minado. Mas você deixa detonar.


Blogado ao som de "A Queda" - Lobão
"Diante do medo um sorriso aeróbico
Nas bochechas a cãimbra de uma alegria incompleta
Nada como um sorriso burro e paranóico
para não perceber a velocidade terrível da queda."



 Escrito por moacircaetano às 07h09
[ ] [ envie esta mensagem ]



ALGODÃO

moacircaetano


Um olho que teima em desprezar o contorno
o vento faceando, delineando a manhã
já despido de vida, repousa um corpo
no frio da laje, sem voz, sem elàn

Dois pássaros negros perdidos entoam
a mesma triste cantiga que eu
insípida, a noite desaba e soam
murmúrios repletos de dor e de fel

É cedo ainda, e já acontecem
coisas estranhas à minha revelia
resquícios de vozes que emudecem

Talvez um momento de pura histeria
talvez estas flores que ora fenecem
talvez minha hora, na noite vazia.




 Escrito por moacircaetano às 22h28
[ ] [ envie esta mensagem ]



FAST FORWARD

moacircaetano

Em meu interior foram escritas todas as leis do universo

Em minha retina

foram gravadas, ficção!

E sem ao menos um índice ou prefácio,

da capa se chega à conclusão!


Blogado ao som de "Army of me" - Björk
"you´re on your own now; we won't save you;
your rescue-squad is too exhausted
And if you complain once more
you'll meet an army of me..."



 Escrito por moacircaetano às 22h25
[ ] [ envie esta mensagem ]



(Ex)Vazio

thais
Vazia a alma,
Enche-se o copo,
Divide-se a cama,
Inunda-se de palavras
O papel e a vida.
Preenchendo de vazio
o vazio repleto de sentidos.

No torpor ensandecido,
Bebe-se não por sede,
Ama-se não por gosto,
Fala-se não por necessidade
E gritando, silencia-se
sobre a presença sempre ausente.

Mas se nada faz sentido,
não importa.
Pois minha vida tem álcool,
sexo e alguma literatura.
Basta.
http://sps.blig.ig.com.br/

 Escrito por moacircaetano às 22h16
[ ] [ envie esta mensagem ]



Segredos

Danuza Leão


Dentro de cada coração há um segredo que jamais será dito à melhor amiga, nem ao padre nem ao analista. Não que seja uma coisa feia, mas é alguma coisa que não poderá, jamais, ser dividida com ninguém, uma coisa só sua.
Pode se tratar de um fato que aconteceu, uma linda história de amor ou apenas um delírio de imaginação, mas dele ninguém vai saber, nunca. Virou uma mania contar tudo o que nos acontece; por não conseguir guardar um segredo ou para pedir uma opinião, nem que seja para fazer exatamente o contrário. Mas as sérias de verdade, que vêm lá do fundo, essas não se conta.
(...)

Eu tenho o meu segredo. Quem não tem?




 Escrito por moacircaetano às 14h41
[ ] [ envie esta mensagem ]



RAISON D’ÊTRE

moacircaetano
nãosse cansava de ver todos os dias o mesmespetáculo. tal qual um nobrespectador, deitava-se em sua camassistia a peça milhares de vezes representada peça de umassó personagem interpretada sempre pela sempre mesma atriz. a primeira cena erassempre composta pela parede branca vazia iluminada pela luz difusa da tarde que morria pelas venezianas semi-abertas. a sonoplastia consistia nossom de milhões de gotas dágua em fuga pelo ar precipitando-se ferozmente pelealva límpida lúdica. quando cessava ossom do banho soava ossinal de um minuto. ele podia – por deus! – ouvir a maciez da toalha fluindo pelos pêlos suavemente um sussurro um cicio um murmúrio intermitente.

Entãosse iniciava o diálogo principal. o diálogo entre deusediabo entre céueinferno entre seussolhos e aquele corpo. as pernas movimentando-se pela parede branca tela de cinema cortina palco imagens de televisão ao vivo temporreal realidade. nas costas aindalgumas gotas seguiam o caminho descrito pelespinha tortuoso desejado delicioso caminho rumo ao paraíso. os cabelos negros derramavam-se ondas sobre o branco. o vento frio causava milimétricos arrepios realçados pela tênue luz de um morredouro sol.

Os seios fuji andes everest desafiavam-no a 105 impossíveis graus terminados em lanças curare cicuta. os olhos descuidados vagavam pelespelho preocupados com sabe-se lá o que.

derrepente fim do espetáculo as cortinas se fecham na forma de um vestido preto fendas decotes promessas.

continuarei ali pelas próximas vintequatro horas esperanduma próxima sessão.

vinda de cima pela milésima vez nesses últimos três anos uma voz me chama banhada de luz banhada de paz de sons de harpaviolino. uma voz repleta de anjos de nuvens jardinssem fim e descanso. pela milésima vez nesses últimos três anos digo não vou.

aqui é meu lugar. nessa cama nesse quartem frente a essa parede em frente ao meu passado em frente ao meu futuro...


Blogado ao som de "Sem Açúcar" - Chico Buarque
"Longe dele eu tremo de amor
Na presença dele me calo
Eu de dia sou sua flor
Eu de noite sou seu cavalo."



 Escrito por moacircaetano às 14h40
[ ] [ envie esta mensagem ]



As canções de Cobain moram em mim

moacircaetano
As canções de Cobain moram em mim

Os filmes de Almodovar
um vasto Drummond
Coca-Cola, Balas Nilva
Macunaíma e bombom

Um pouco de Sinatra
E Mozart, num canto escondido
Zico, Andrade e Adílio
fitas de mocinho e bandido
Vivianes, Giselles e Lucianas
Romário na Copa dos Estados Unidos


Uma cicatriz na perna direita
feita sabe-se lá como
Amigos tragados pelo tempo
Um ano de solidão e abandono
Espírita, católico e protestante
Barcelona, Santos e Macondo

Cake, Caetano, Arnaldo Antunes
a poesia incompreendida do Humberto
Oswald, Cecília e Melo Neto
Queens of the Stone Age e João Gilberto
Eliane, Nair e Maria Luzia
Santíssima Trindade, longe e perto

Tegretol, Roacutan e feijoada
um cigarro de maconha, quase nada
poesia, engenharia, fotografia,
Somma em todos os meus dias
café com leite e cerveja gelada

Feridas feitas por quem se ama
(uma minúscula pinta na parte interna da mão)
uma clavícula quebrada
leite condensado, O Poderoso Chefão
Colégio Estadual Bandeirantes
Robert Smith, Capital e Legião

E em dois mil e quatro
uma raquete, um teclado, um monitor
o mínimo possível de dor
e uma câmera fotográfica na mão...


Blogado ao som de "Special K" - Placebo
"Gravity, no escaping, gravity...
I fall down
hit the ground
make a heavy sound
every time you seem to come around..."



 Escrito por moacircaetano às 22h16
[ ] [ envie esta mensagem ]



AL-Chaer, o engenheiro das palavras
farofa mineira
          ela me ama
e eu
          a moela

epitáfio
flor
aqui
jasmim

 

brancaminho


ando
pele
tua cor clara
clareando




 Escrito por moacircaetano às 10h21
[ ] [ envie esta mensagem ]



TUAS COSTAS

moacircaetano


                                 Uma serpente

      surgindo da selva alva

                                       se esgueira sob a grama que brilha ao sol

                                                                           rumo ao desconhecido...


Blogado ao som de "Todo Mundo é uma Ilha" - Engenheiros do Hawaii
Você me procurou, eu procurei dizer que não valia a pena..."



 Escrito por moacircaetano às 07h44
[ ] [ envie esta mensagem ]



RESOLUÇÃO

moacircaetano
Então derrrrepente ele viu o absurdo do que estava fazendo. olhou para as duas filhas que não eram suas. olhou paras fotos na mesa detalhes de uma realidade que nuncavia existido memórias de um tempo que não voltaria para que ele pudesse embarcar. olhou para o rosto já tão conhecido e aindassim tão indecifrável resquícios de anos de desconhecimento ecos da ausência subitamente arrancada. olhou parum pequeno bibelô que dizia a nossa casa é feliz como assim nossa casa? e num insight ele soube que naquela palavra nossa casa não cabia o seu corpo os seus pensamentos a sua procurincessante a sua inquietação seus medos seus atos injustificáveis e sua covardia. não. tudo isso era muito grande muitintenso muito muito para que pudesse morar em algum lugar que não dentro do seu eu já calejado de tantas caminhadas dormente de tantas pancadas. sem dizer adeus foi embora. e o alívio sobrepôs-se à dor.
Blogado ao som de "Sândalo de Dândi" - Metrô
"sinto no corpo o prazer de estrelar
cenas de um filme de amor
venço limites, você insiste
tudo me atrai
clima de festa, de rock'n roll..."


 Escrito por moacircaetano às 12h49
[ ] [ envie esta mensagem ]



os canteiros de victor

Ana Paula Mangeon
façamos assim:
quando eu cansar de pecar,
e você puder entender;
quando eu parar de vagar
e você desistir de fugir;
me dá seu perdão
que eu nos planto um jardim.

http://www.anamangeon.mus.br/


 Escrito por moacircaetano às 08h45
[ ] [ envie esta mensagem ]



DUPLA FALTA

moacircaetano


A tristeza vai caindo, suavemente, ao meu lado.

 

Me abaixo,

colho com delicadeza esse corpo tão fugaz,

tão estranho, tão íntimo,

tão velho, tão amigo.

 

Deposito-o, vagarosamente, no banco da praça.

 

Aos meus pés, os pombos saltitam ao sol da manhã.

Pedacinho a pedacinho, a tristeza se desintegra,

miolo de pão ao vento.

Os pombos, de barriga cheia, arrulham, arrulham e vão-se embora.


Blogado ao som de "Gota D´água" - Chico Buarque
"Deixe em paz meu coração,
ele é um pote até aqui de mágoa
e qualquer destenção (faça não...)
pode ser a gota d´água..."



 Escrito por moacircaetano às 08h07
[ ] [ envie esta mensagem ]



THOUSANDS OF PIECES

moacircaetano


Cortem-me imediatamente!
Urge que cortem-me,
cortem-me, urgente!

Metam-me em gavetas,
sumam com cada pedaço de mim,
sumam com o que um dia já viveu em mim!

Retalhem-me, cortem-me, imolem-me,
escondam cada pedaço em uma localidade,
escondam-me, mas muito bem escondido,
não quero ser surpreendido
por mim mesmo em alguma esquina da cidade!

Cortem-me
e exibam-me para a posteridade!


Blogado ao som de "Flower" - Eels
"Turn the ugly light off, God
I wanna feel the night!"



 Escrito por moacircaetano às 19h54
[ ] [ envie esta mensagem ]



faro (e fino trato)

valéria tarelho

te adivinho
no bouquet
de um vinho tinto
:
tenho instinto
um tanto
etílico

http://www.valeriatarelho.blogger.com.br/


Blogado ao som de "Creep" - Radiohead
"I want you to notice
When I'm not around
You're so fuckin' special
I wish I was special "


 Escrito por moacircaetano às 23h38
[ ] [ envie esta mensagem ]



ACABEI DE VER...

Diários de Motocicleta - Walter Salles
Com Gael Garcia Bernal e Rodrigo de La Serna


A história de Che Guevara é daquelas que parecem ter sido escritas por algum roteirista de cinema. Com a grandiosidade de um épico, tem lances de heroísmo, redenção, coragem e tragédia. Um dos grandes ícones do mundo moderno, Ernesto Guevara influenciou toda uma geração, e foi o principal dos libertadores da América Latina.

Walter Salles poderia ter escolhido o caminho óbvio de mostrar a face guerrilheira, corajosa, soberAna de Che. Ao invés disso, preferiu se focar na figura do homem. Ou melhor, na figura do jovem que um dia precedeu o homem. A história trata da viagem que Che fez em sua juventude juntamente com seu amigo Alberto Granado pelos tortuosos e áridos caminhos da América Latina.

Nessa viagem, contada com toques de comédia e emoção na medida exata, sem nunca descambar para o piegas, o ainda inocente Ernesto percebe as contradições, a miséria, a injustiça que hebitam em cada grão de deserto, em cada gota de água de um continente escravizado e submisso. Mais do que os aspectos políticos, o que se vê é o cansaço, a tristeza, o conformismo.

Em algum lugar dentro de si, Che começa a sentir algo que seria o início - coisa que ele não poderia nem mesmo sonhar - de uma história que seria muito maior do que ele próprio.

A cena final, onde os olhos cansados e envelhecidos do verdadeiro Alberto Granado fazem contrapaonto ao olhar esperançoso e cheio de futuro do jovem de outrora nos enche de melancolia. Por saber que ainda hoje todos aqueles ingredientes que marcaram a alma de Ernesto Guevara ainda existem. Que a desigualdade, a injustiça não só se mantiveram, como se agravaram. E que não existe mais luta, armada ou não, que possa vencer as garras do poder econômico das grandes corporações, que se tornou muito, muito maior que qualquer governo. Hoje, rostos sem nome que pairam pelos mercados de todo o mundo ditam destinos de nações. E, consequentemente, da partícula elementar de cada nação: o homem. Eu. Você...

É um filme sem final. Ainda bem. Pois o final não é nem um pouco feliz...




 Escrito por moacircaetano às 12h26
[ ] [ envie esta mensagem ]



FÁBULA

moacircaetano


Pequenino

o poema-joaninha

dorme à sombra do rinoceronte

 

Paquidérmico

o rinoceronte

não tem onde se esconder

 

Tranqüila

a joaninha repousa…


Blogado ao som de "Sentimental" - Los Hermanos
"De tanto eu te falar, você subverteu
o que era um sentimento e então
fez dele razão pra se perder..."



 Escrito por moacircaetano às 12h48
[ ] [ envie esta mensagem ]



Sexta-feira à noite

Rhiannon
Sexta-feira à noite
os homens acariciam o clitóris das esposas
com dedos molhados de saliva.
O mesmo gesto com que todos os dias
contam dinheiro papéis documentos
e folheiam nas revistas
a vida dos seus ídolos.

Sexta-feira à noite
os homens penetram suas esposas
com tédio e pênis.
O mesmo tédio com que todos os dias
enfiam o carro na garagem
o dedo no nariz
e metem a mão no bolso
para coçar o saco.

Sexta-feira à noite
os homens ressonam de borco
enquanto as mulheres no escuro
encaram seu destino
e sonham com o príncipe encantado.
http://spm.zip.net/


 Escrito por moacircaetano às 20h33
[ ] [ envie esta mensagem ]



PEDAÇOS

moacircaetano

1

Percorrendo a estrada simples do caos

paro estremecido —solidão !

e meu peito ainda assim diz não.


2

Não é preciso sonhar

quando se tem a visão

daquele corpo no mar,

daqueles pés sobre o chão;

e como não se embriagar?

se a pele e a carne são tão

doces pro meu paladar!


3

O homem foi trabalhar,

encontrou-se com o patrão;

sentiu a raiva a brotar,

sentiu um ódio do cão,

saiu pra jogar bilhar

e naquele dia não

voltou para trabalhar.


4

Violácea

a saudade observa

da vidraça


5

O sem-terra

súbito a adquire

quando o sonho se encerra


Blogado ao som de "O Pouco que Sobrou" - Los Hermanos
"Se existe Deus em agonia
manda essa cavalaria
que hoje a fé me abandonou."



 Escrito por moacircaetano às 20h31
[ ] [ envie esta mensagem ]



Uvi strella

Juó Bananère


Che scuitá strella, né meia strella!
Você stá maluco! e io ti diró intanto,
Chi p'ra iscuitalas moltas veiz livanto,
I vô dá una spiada na gianella.

I passo as notte acunversáno c'oella,
Inguanto che as outra lá d'un canto
Stó mi spiano. I o sol como um briglianto
Nasce. Oglio pr'u çeu: - Cadê strella?

Direis intó: - O' migno inlustre amigo!
O chi é chi as strellas ti dizia
Quano illas viéro acunversá contigo?

E io ti diró: Studi p'ra intendela,
Pois só chi giá studô Astrolomia,
É capaz de intendê istas strella.
Blogado ao som de "I Know" - Placebo
"I know, you love the song but not the singer
I know, you´ve got me  wrapped around your finger,
I know, you want the sin but not the sinner,
I know..."
 



 Escrito por moacircaetano às 16h14
[ ] [ envie esta mensagem ]



OURIVES

Cesar Garcia Lima


Midas ganhou de Deus quatro vidas

pra tentar ser feliz.

Na primeira, transformou tudo em ouro

e morreu.

Na segunda, em comida

e morreu.

Na terceira, em merda

e morreu.

Na quarta, parou de desejar

e tudo deu certo.

Então foi infeliz

e morreu.


Blogado ao som de "Miss You Love" - Silverchair
"I love the way you love
But I hate the way
I´m supposed to love you back..."



 Escrito por moacircaetano às 09h11
[ ] [ envie esta mensagem ]



POETAS SÃO GENTE

Millôr Fernandes
Eu vivo pra poesia mas poetas não vivem pra mim.
Espero que eles me alimentem como a um coelho faminto. Eles não sabem disso.
É melhor mesmo que não percebam o quanto são necessários.
De outro modo seríamos ultrapassados por eles e eles não saberiam quando parar.
Um excesso de poetas não seria uma boa idéia pro nosso mundo. Nosso mundo necessita apenas de um certo número. Embora isso ainda não tenha sido atingido é importante que a poesia seja controlada.

Eu sei. Tenho observado poetas vagabundeando por aí, esperando o momento de atacar. É pior do que haker atacando. Uma visão horrível. A pessoa atacada correrá pela rua gritando. Pode até amaldiçoar o sistema, e fugir de casa levando sua filha com ele.
Poemas têm um jeito de infeccionar os pobres idiotas que os escrevem.
Poetas ficam em silêncio durante conversações, esperando uma brecha.
Subitamente, sem aviso, um poeta falará uma sentença que acabou de pensar, e aqueles em volta gritarão como que atingidos por um curto-circuito.

Você gostaria que isso acontecesse freqüentemente? Levaria meses pra se voltar a qualquer aparência de normalidade. Isso pode ser uma boa de vez em quando, como mudança. Mas pára um momento e procura imaginar o pessoal do governo de Sua Majestade todos os dias fazer suas transmissões, como faz, mas cada uma ser um poderoso poeta.
A confusão seria indescritível. A nação ia parar nos trilhos e colher flores pros vizinhos. Carros iriam se abalroar no tráfego pros motoristas saltarem e apertarem as mãos. Greves seriam desnecessárias pois ninguém trabalharia. A vida seria boa demais pra se perder. Cada dia seria vivido sem plano e cada momento saboreado como vinho novo. Cada pôr-do-sol seria uma revelação e uma promessa pra amanhã.

Todo mundo faria amor. Mesmo os doentes.
Melhor seria os poetas não usarem palavras. Melhor que nascessem mudos. Melhor que cortasssem as línguas, se falassem. E melhor ainda, se pensassem, ficassem em silêncio. Deus nos proteja de suas invocações ferozes, pelo menos até termos tempo de praticar exercícios de poetas mortos, pra estarmos em forma a fim de tentar hoje outra vez.
Poetas não percebem.
Enquanto vivem são eras daninhas.
Quando morrem são fertilizantes.


Blogado ao som de "Black" - Pearl Jam
"I know, someday you'll have a beautiful life
I know, you´ll be a star
In somebody else's sky, but why,
Why can it be mine???"



 Escrito por moacircaetano às 15h10
[ ] [ envie esta mensagem ]



O GIGANTE DE PEDRA - ao meu avô

moacircaetano

Ainda hoje eu sonhei com a tua força;

ainda hoje eu sonhei com os teus passos, firmes e simples;

ainda hoje eu sonhei com tuas tintas, teu boné, teu canivete,

tua sandália, tua camisa e tua calça puída,

teu tamborete no quartinho, tua rede,

tuas rocas, garruchas, artesanato e finalmente

sonhei com aquele sorriso calmo e leve,

discreto e profundo,

próprio de quem viveu muito, aprendeu muito.

e ainda assim acha graça das doiduras desse mundo…

 

Teu pequeno fusca vermelho rasgava a estrada até Goiás

sumindo, sumindo, sumindo aos meus olhos

e depois voltando, esbanjando felicidade

em forma de bolachas, quebradores e tua presença !

 

Pai muito mais que meu pai,

amigo, muito mais que meus amigos,

mãe, avô, avó, tio,

padrinho, colega, amigo, vizinho,

um gigante aos meus olhos de apenas poucos anos,

um gigante bom e calmo

devagar e sempre

homem e alma

 

Na leitura incompreensível de tão pouca idade

a tristeza não me trouxe a exata dimensão da perda,

do silêncio na casa da Rua Campinas,

do silêncio no fusca, no quartinho de pintura,

do silêncio em Goiás Velho, na feira, no mundo,

do silêncio naquele pequenino coração…

 

E hoje, quanto não daria da minha vida de adulto,

dos meus sonhos, minhas coisas, meu dinheiro de adulto,

para ao menos uma vez entre minhas mãos

—mãos marcadas, sujas, calejadas de adulto—

as tuas mãos !

para voltar e ser criança no teu colo,

estamos brincando com o pote de moedas

retinindo, rebrilhando,

enquanto dança a madrugada…


Blogado ao som de "Love in the Afternoon" - Legião Urbana
"É tão estranho, os bons morrem antes
Assim parece ser, quando me lembro de você
Que acabou indo embora...
Cedo demoas..."



 Escrito por moacircaetano às 15h09
[ ] [ envie esta mensagem ]



ATENÇÃO

Arnaldo Antunes
Atenção
Essa vida contém cenas explícitas de tédio
Nos intervalos da emoção

Atenção
Quem não gostar que conte outra,
encontre, corra atrás,
enfrente, tente, invente
sua própria versão

Aqui não tem
segunda sessão
Aqui não tem
segunda sessão

Blogado ao som... da música aí em cima!

 Escrito por moacircaetano às 16h14
[ ] [ envie esta mensagem ]



BICHO

moacircaetano

As lembranças se guardam dentro da gaveta.

Algumas secas, outras amargas,

uma quente, outra úmida,

aquela que traz consigo sua carga de verdade,

aquela outra sua sombra de saudade,

e aquela e aquela e aquela…

 

Não se encontram em ordem alfabética ou cronológica,

não estão classificadas por ordem de tamanho,

por cor, por espécie ou por data de validade;

estão apenas jogadas lá dentro,

umas em cima das outras, empilhadas,

na ordem límpida e simples do caos,

prontas pra sair, à espreita,

aguardando o momento específico

 

de atacar as nossas jugulares…


Blogado ao som da chuva (imaginária, mas... e daí?)



 Escrito por moacircaetano às 22h27
[ ] [ envie esta mensagem ]



PALAVRAS VOADORAS

Ana Martins
Imaginem se as palavras fugissem
dos livros, das bocas e das telas.
Seria caótico andar por aí
e tropeçar nelas.

As palavras faladas
essas nos atordoariam
e as escritas rolariam
por entre nossas pernas
http://www.trancafiada.blogspot.com/

 Escrito por moacircaetano às 23h30
[ ] [ envie esta mensagem ]



ANTIGA NOVIDADE

moacircaetano


Parece que tudo tinha acontecido a muito muito tempo atrás quando seus olhos eram diferentes quando seus sonhos eram diferentes quando sua vida seu pensar suas poesias tudo tudo era muito diferente. o encontro se deu sem que se soubesse ao certo o que ainda existia sem que se soubesse o que os anos teriam causado a tão frágil material. o frio na barriga um embrulho na boca do estômago tremor respiração descontrolada medo excitação surpresa tesão medo medo medo. de repente era como se tivesse sido ontem como se anos fossem horas como se dias fossem minutos como se horas fossem segundos como se o próprio tempo perdesse o sentido (tempo? what the hell is this???).

Então a explosão vinho suor saliva lágrimas porra. então a explosão você. te sorvi inteira. quatro horas e meia.


Blogado ao som de "Secret Smile" - Semisonic
"Nobody knows it, but you have a secret smile
and you use it only for me..."



 Escrito por moacircaetano às 23h06
[ ] [ envie esta mensagem ]



CAÇA

Jeanete Ruaro


Quando não houver mais brilho
Na luz do meu olhar,
Lembra bem:

Não é desgraça
É que o tempo quer ser rei,
E tornou-se ameaça

E se ontem o cacei,
Hoje sou a caça.


Mar da poesia – Link aí do lado



 Escrito por moacircaetano às 19h52
[ ] [ envie esta mensagem ]



TESTE DE Q.I.


Tem um site na Internet onde você pode fazer o seu teste de Q.I. Não sei bem pra que serve, mas...
Quem quiser fazer, o endereço é:
 http://web.tickle.com/tests/uiq/?sid=1443&supp=CPA120x600_IQ_White_04&test=uiqogt
Pena que é em inglês!

O meu resultado foi:


Congratulations, Moacir!
Your IQ score is
136

This number is based on a scientific formula that compares how many questions you answered correctly on the Classic IQ Test relative to others.

Your Intellectual Type is Facts Curator. This means you are highly intelligent and have picked up an impressive and unique collection of facts and figures over the years. You've got a remarkable vocabulary and exceptional math skills — which puts you in the same class as brainiacs like Bill Gates.

Parece legal, hein?




 Escrito por moacircaetano às 12h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



PRECE

moacircaetano


Entre o que fiz e o que sou
uma diferença abissal
ah, perdão, Senhor
livrai-me de todo o mal

Entre o que sou e o que fiz
mil anos-luz de distância
morro um pouco feliz
teus lábios como herança




 Escrito por moacircaetano às 11h41
[ ] [ envie esta mensagem ]



CONSTRUÇÃO

moacircaetano


L A B I R I N T O !
C O N S T R U Ç Ã O
L A B O R
C O N S T R U Ç Ã O
  I N S T I N T O !
C O N S T R U Ç Ã O

L A B I R I N T O !
        F I C Ç Ã O
L A B I R I N T O !
C O N S T R I Ç Ã O
L A B I R I N T O !
C O N S T R U Ç Ã O


Blogado ao som de "Construção" - Chico Buarque
"Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido

...Morreu na contramão atrapalhando o sábado..."



 Escrito por moacircaetano às 11h37
[ ] [ envie esta mensagem ]



MARTHA MEDEIROS

226


se você nunca levou um tiro
eu conto como é
não tem cronologia
primeiro o disparo, depois a dor
nada disso, você ouve o disparo muito depois
e bem fraquinho, só um eco
porque você não acredita no que aconteceu
aliás, esqueça a dor
tiro não dói
tiro é um impacto que você sente
e não sabe que é tiro
pensa que o sutiã arrebentou
que foi atingido pelo Cupido
que as artérias ficaram velozes de repente
você não sente o buraco que ficou
você não ouve sirenes
você sabe que aconteceu algo de importante
mas não é na morte que você pensa
você não repassa a sua vida
como acontece com os afogados
você sabe que o tempo parou
mas não consegue chamar ninguém
a verdade é que você foi irremediavelmente surpreendido
e é isto que é esquisito
todo o seu sangue converge para o mesmo ponto
lá onde ficou a bala
todo o seu corpo vai dar boas-vindas
a este corpo estranho
e você se contrai
você enfraquece
não raciocina como todo mundo
não articula a voz
ainda não há medo
e já se passaram quatro segundos
nada é rápido, nada é dramático
um tiro é o que há de mais definitivo
não machuca, não rasga
nâo estraga
é só o parto prematuro
de uma nova vida que te traga.



 Escrito por moacircaetano às 12h50
[ ] [ envie esta mensagem ]



ACABEI DE VER!


KILL BILL, Vol.1 - Quentin Tarantino
Com Uma Thurman, Luci Liu, David Carradine
Alguns dizem que este não é um autêntico Tarantino. Que não se ouvem longos diálogos espertos, que a violência foi suavizada através do histrionismo, que a tensão foi substituída pelas gargalhadas.
Outros dizem que o essencial de Tarantino está lá: milhares de referências por minuto, desconstrução da linha espaço-temporal, trilha sonora demolidora e muito, muito sangue.
Só sei que, além dos conceitos, teorias, discussões e intelectualismos, no fim o que interessa é simples: se você saiu do cinema satisfeito com o dinheiro que pagou pela entrada.
E nesse quesito, o filme tira nota dez: desde a sacada do início, imitando antigas séries televisivas, até o final que faz você ter vontade de comprar um DVD pirata pra ver o Volume 2, todo o tempo em que se está sentado na poltrona é uma diversão só! Cinemão ao melhor estilo americano, filmado pelo mais americano dos cineastas.
Pra ver num domingo, com um saco gigante de pipocas e um sorriso na cara do início ao fim da sessão.
Blogado ao som da Trilha Sonora de Pulp Fiction (puro Tarantino)



 Escrito por moacircaetano às 12h04
[ ] [ envie esta mensagem ]