Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


moacircaetano




 Escrito por moacircaetano às 16h13
[ ] [ envie esta mensagem ]



PUZZLE

moacircaetano
inspirado em post de Edson Marques
(26 de março de 2005)
Tempo seco, tempo torto.
Tempo estéril, tempo morto.

O que um dia fora amor
Em pó se desfazia.
Noites, tardes vazias.

Eu, quebra-cabeça...
Minhas partes separadas
Implorando conexão,
Implorando compreensão,
Minhas partes separadas...

Estavam misturadas, eu sei.
Uma grande confusão.
Mas esperava por uma mão
Que encontrasse os encaixes,
Que sublimasse os excessos,
Que me moldasse as muitas faces.

A compreensão veio tarde
Quando já nada mais havia a fazer...





 Escrito por moacircaetano às 10h21
[ ] [ envie esta mensagem ]



moacircaetano





 Escrito por moacircaetano às 23h37
[ ] [ envie esta mensagem ]



OS SUSPEITOS

moacircaetano


Onde você estava na tarde
de 6 de agosto de 1973?
Exatamente às 15:55
onde estava você?

Você tem algum álibi?
Alguém pode te inocentar?
Ou você fez parte da conspiração?
É em você que eu posso confiar?
Ou não?

O quê?
Você ainda nem tinha nascido?
Ah, mas isso é muito suspeito!
Ainda bem que meu crime preferido
é ser imperfeito!




 Escrito por moacircaetano às 09h55
[ ] [ envie esta mensagem ]



moacircaetano


Os monstros estão trancados
dentro de gavetas
dentro de caixas lacradas
em baús dentro de baús dentro de baús.

São monstros, eu sei.
Não perdem em seu cativeiro
sua condição de algozes
sua capacidade de morte e destruição.

Mas por ora são vulcões adormecidos.
Em seu interior
a lava ferve...




 Escrito por moacircaetano às 18h34
[ ] [ envie esta mensagem ]



INSTANTE

moacircaetano

O sol que queima os quintais
tocou,quente, a minha pele

s  ú  b  i  t  o

teu ser sa   l    tou de mim
teu ser s al t      o u de mim
teu ser s al t  o   u de mim!

e o teu toque
dentro do meu corpo
me fez acordar  t r ê m u l o
me fez acordar  t r ê m u l o
me fez acordar  t r ê m u l o
vib-r-r-r-r-r-ante!!!




 Escrito por moacircaetano às 08h10
[ ] [ envie esta mensagem ]



moacircaetano


A menininha se encontrava sentada no chão...

vestidinho de chita
simples, mas lindo
um sorriso que vinha
e se repetia, indo e vindo
seus olhos ainda infantis
olhando tudo, a tudo acariciando
um algo no ar, incendiando...

Sentei-me ao seu lado.

Teve medo, a menininha...
Com calma e carinho, peguei-a em meus braços.

Olhei aquelas bochechas rosadas
e depositei em cada uma delas um beijo.
Soprei em seus olhos um pouco de universo
e, respeitoso, me calei...

E ela transformou-se aos meus olhos
em cisne, em bailarina, em cinderela
tornou-se uma velhinha, cem anos
tornou-se a estrela mais bela
tornou-se arco-íris, sol, tempestade
carinho, vida e depois saudade...

Repleto de tanta beleza,
voltei-me para o horizonte!

Quando dei por mim, ela já se havia ido.

Levara de mim toda a tristeza...


Para Decca...
que me emocionou com seu post do dia 20:
http://papirus.zip.net/arch2005-03-01_2005-03-31.html



 Escrito por moacircaetano às 09h32
[ ] [ envie esta mensagem ]



TOUCHÈ

moacircaetano


Em séculos de esgrima com o tempo
nenhum alívio, nenhum alento

...

No momento de distração
o golpe em meu coração
libertando-me enfim...

Ao invés da morte,
algo renasce em mim!




 Escrito por moacircaetano às 08h31
[ ] [ envie esta mensagem ]



INVERSÃO

moacircaetano


caminho pela praia.
o vento sopra.
a areia percorre os caminhos suaves da brisa.
se levanta.
dança.
desenvolve-se em círculos.
faz piruetas.
a areia corre através de mim.

a praia caminha em mim.

 

percorro toda a praia
em algumas horas
mesmo parando pra água de coco
mesmo parando pra cada conchinha
mesmo parando pra sorrir
pra entrar na água cálida, crisálida
e lavar meu corpo do mundo.

 

já a praia
levaria mil anos
pra percorrer meus caminhos...




 Escrito por moacircaetano às 20h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



CURA

moacircaetano
em meio aos delírios
em meio às vertigens
um rosto na escuridão me conforta
me traz de volta à Terra...

e me faz sorrir,
ainda que em meio à febre...


 Escrito por moacircaetano às 22h02
[ ] [ envie esta mensagem ]



moacircaetano





 Escrito por moacircaetano às 15h20
[ ] [ envie esta mensagem ]



moacircaetano


Céu azul
o sol ao longe
e você...
onde se esconde?

eu sei, o trabalho
e a faculdade
mas mesmo assim
dói, arde...

esse troço
chamado saudade...




 Escrito por moacircaetano às 09h35
[ ] [ envie esta mensagem ]



STIGMA

moacircaetano


Na dobra úmida do teu seio
perfiz meu mais doce enleio

surgiste, assim, do nada,
nem mesmo disseste a que veio

me pegaste tão descuidado
eu que me encontrava no meio

da mais louca confusão
do mais fundo devaneio.

Não tive um pingo de medo
nem mesmo o mais leve receio

mas isso por não conhecer
a força do que sobreveio

a força do teu desejo
a loucura do meu anseio

que nem na mais louca aventura
conseguem encontrar esteio...




 Escrito por moacircaetano às 18h01
[ ] [ envie esta mensagem ]



AVIÃO

moacircaetano


Súbito
a dor surgiu, aguda, insuportável
arrancando-o do sono
fazendo-o se lembrar de que o mundo era real
e cruel!

Por entre as folhas e os pássaros
ecoavam em sua mente
os gritos de agonia, ódio e desepero
sólidos demais para serem ignorados
sólidos demais para serem suportados

Uma dormência em suas pernas se impôs
desviando seu olhar dos cadáveres em chamas.
Olhou para baixo
e viu apenas sangue e ausência
onde um dia houve ossos, carne e estímulos nervosos.

Ao seu lado, um policial agonizava.
Sua arma ao alcance de suas mãos.
Uma bala, apenas uma
e sua vida estaria em seu controle novamente.

Mas o instinto de sobrevivência foi mais forte.
E tudo ficou mais dolorido.

Nos céus, onde deveria estar
dentro de algumas toneladas de aço sobrevoando a Amazônia
alguns abutres já se reuniam...




 Escrito por moacircaetano às 19h14
[ ] [ envie esta mensagem ]



ZZZZZZZZZZZZZZZ

moacircaetano


E dormimos até a meia-noite...

Nossos corpos unidos pelo suor
e por um punhado de magia
resquício de alguns minutos atrás

Sair na madrugada
atrás de um sanduíche...

Quem poderia imaginar um dia
que isso seria romântico???

Só o amor...





 Escrito por moacircaetano às 22h11
[ ] [ envie esta mensagem ]



moacircaetano





 Escrito por moacircaetano às 08h35
[ ] [ envie esta mensagem ]



INTRUSO (?)

moacircaetano


Há tempos, o amor tentava entrar pela porta dos fundos.

O dono da casa,
sabedor das costumeiras estripolias
daquela visita (in)desejada
botava tranca na porta
chave tetra, cadeado
e não o deixava entrar
nunca, never, jamais!

Uma vez amor arrombou as janelas
se instalou, não saía mais.
Riscou os móveis, tocou fogo na casa
levou todos os pertences de valor!
Perda total!

O dono da casa, desolado, jurou:
"Esse safado aqui não entra mais!"
E tome tranca, chave tetra, cadeado
vigilância diuturna, equipamentos moderníssimos
sistemas de alarme e detecção.

Então, veio o fim.

O dono da casa, confuso
já nem se lembrava das senhas, dos códigos.
Olhou praquele cenário de destruição
sentou-se no chão
e chorou.

Quando deu por si, adivinha quem tinha entrado???

Temeroso, o dono da casa olhou em volta
esperando o pior...

MAs a casa estava limpa
cada coisa em seu lugar
sua cama arrumada
a comida posta à mesa
e um sol maravilhoso
inundando a sacada, os quartos e a sala...




 Escrito por moacircaetano às 10h19
[ ] [ envie esta mensagem ]