Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


STACATTO

Esse já foi postado no início desse blog, mas é um dos que eu mais gosto. Além disso, tem um monte de visitantes mais novos que nunca leu. Além do mais, estou sem nada pra postar... hehehe...
Então aí vai de novo:


Sebastião. Ser simples. Siciliano.

Sempre sua segurança seria surpreendida, sobretudo se seus sonhos seguissem se sucedendo, sanguessugas solenes.

Sentia sua sexualidade suficientemente sólida; saciava-se; sexo singularmente saboroso. Somente singelo senão: sabia-se sáfaro! Sementes secas! Sêmen sem substância...

Solícito, sustentou sobrinhos, sobrinhas.

Suas sobrinhas seguiam sugando sua segurança. Suores súbitos surgiam, sem serenidade, sal sulfúrico!

Sônia seria sempre sacrossanta, sobrevivendo sob sua sensibilidade. Suave, sagrada, subaproveitada. Subjugada. Soterrada sob sua solidão.

Samira supunha-se succubus, sugando secretas seivas sob seus sonhos sodomitas. Sáfia, safista, safadíssima. Sua saga sagrava sua safadeza.

Sandra sucumbiu, selou sua sorte - sabiamente - sob sagrado sacramento. Seu sacrilégio seria se subverter seguidamente, santo sacrifício.

Suely sabia sua senha, sacou seu salário sete semanas seguidas. Sem ser sensibilizada, sumiu. Sem sentença. Sem sentimentalismos.

Sebastião...

Sobre seus sobrinhos, saliente-se sua sina soturna, sobremaneira sinais sinistros, suspense...

Sílvio, sacerdote sacripanta,surrou sacristãos, saqueou sinagogas, surrupiou sacristias. Sublime sacrílego, salvou-se solenemente supondo-se santo.

Sérgio, sectário; sedentário; safenado; senil. Seduziu suas sobrinhas! Seqüestrou serviçais. Selvagem. Secretamente, sonetos simbolistas.

Sobre Samir: sua sensual senhora separou-se. Saiu se saciando sobejamente sob seu sem-saber. Sofrendo, Samir soube. Sucidou-se.

Soares, segundo-sargento, satisfazia sua sofreguidão seviciando soldados subalternos, sebosos, suados. Sugava suas sujidades. Sodomia.

Sebastião...

Subfebril, sentiu-se submergir. Sua sobrevivência sob sombras soava simplesmente sem sentido. Supliciado, saiu sozinho.

Samba. Sinuca. Sexo. Surras. Surrealismo.

Surtou!

Sofreu síncope. Seu suspiro sereno sobreveio...

Silêncio!

(...)

Sua Santidade soube. Santificou-o.

Satanás sorriu, surpreso!




 Escrito por moacircaetano às 11h46
[ ] [ envie esta mensagem ]



SEU HONORATO

moacircaetano


Diziam que ele não saía do sofá pra nada.
Ele disse que tinha sido trazido na marra.
Mas pitou, tomou uma cervejinha, jogou truco, riu, brincou
e ainda voltou no outro dia!



 Escrito por moacircaetano às 22h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



HOSPITAL

moacircaetano
Tu.
Tu.
Tu.
Tu.
Tuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!
...


 Escrito por moacircaetano às 20h57
[ ] [ envie esta mensagem ]



ESQUETES

moacircaetano
Extra! Leiam a manchete:
Promoção: uma charrete
por um prato de vinagrete!
Espaguetti
ao molho Etti
em teu corpete
o canivete!
melhor Gilette!
...ou cotonete!
Chevette Hatch
e um Corvette
na Rua 7...
o patinete
atropelou Dona Beth
que ouvia Borghetti
Que escrete!
Virei tiete!
Pompom e confete!
Deixe de frete!
E vê se não te mete
a rimar com boquete!


 Escrito por moacircaetano às 07h13
[ ] [ envie esta mensagem ]



17:41

moacircaetano


alguém me falou
que tinha ciúme das palavras
que se dirigiam ao seu outro...

não se pode ter ciúme das palavras...
seria injusto!
elas são muitas, e nós poucos.
elas são belas, e nós horrendos.
elas são eternas, e nós morremos.

elas são tudo, e nós nada somos.
elas são plenitude, e nós somos abandono.
elas dizem o porque, e nós nem sabemos como!

elas são eu e você.
as palavras são o que definem
o nosso querer!




 Escrito por moacircaetano às 16h41
[ ] [ envie esta mensagem ]



ÊNFASE

moacircaetano

no meio do caminho havia um espinho

no meio da  pedra  havia uma espera

no meio de t u d o havia um  futuro

no meio do n a d a havia um passado

no meio do  início havia um   vício

no meio do  f i m  havia um s  i  m

 

no meio do carlos          de andrade

         havia um drummond

no meio de mim

         havia um fim

            e nada de bom!




 Escrito por moacircaetano às 08h45
[ ] [ envie esta mensagem ]



SEM QUERER

moacircaetano


Como?
Não foi nada?
E quando o vermelho do meu sangue
tingiu a orla da estrada?
E quando teu corpo sobre o meu
pesou uma tonelada?

Então é assim?
Você acha que não foi nada?
Mesmo depois que os bombeiros vieram
e a tragédia estava consumada?
Mesmo quando nossas almas
se elevaram
acima da madrugada?

Ah, não me diga que não foi nada!
Não quando o meu corpo em chamas
adentrou o seu em brasas.
Não quando minha língua sedenta
lambeu tua orelha amputada.
Não quando tua voz, já débil
se transformou numa lamúria macabra.

Não me cause gargalhadas...
Não me transforme em lembranças passadas!
Pois o tremor em tuas mãos
denuncia a derrocada!
Eu sou quem te digo:
Realmente não foi nada!



 Escrito por moacircaetano às 17h55
[ ] [ envie esta mensagem ]



ALVO

moacircaetano


Correr todas as estradas
Beber todas as cervejas
Comer todas as bocetas
Tudo! e tudo de uma só vez!

Acertar em cheio a cara de alguém
Esmagar o acelerador
até o ponteiro colar
e a fumaça negra subir

O som no último volume!
Quero a reclamação do meu visinho.
Quero que se foda o meu vizinho!

Cheirar, injetar, fumar, beber
Enfiar, gozar, trepar, foder
Cair, tombar, entorpecer
Quebrar, socar, emputecer

E no final da noite
cuspir meu próprio sangue
e vomitar até morrer!




 Escrito por moacircaetano às 07h14
[ ] [ envie esta mensagem ]



AMPLITUDE

moacircaetano


Diáfana
essa noite
sem sombra de lua

na rua
um homem geme, sedento
faminto

de abraço,
de beijo,
de um nome de mulher.

Os pés
sob o cascalho
dão a dimensão exata

o embate
entre a vida
e o não.

Na mesa
sobre o pano verde
um dado rola...




 Escrito por moacircaetano às 22h34
[ ] [ envie esta mensagem ]



AURORA

moacircaetano


Tudo o que poderia ter sido
e não foi...

A vida passada a limpo:
rascunho!

As possibilidades
as probabilidades
todos os "se" e "talvez"
se agitando na mente confusa.

Nenhuma carta escrita
sequer recebida.

Nenhum sonho concretizado,
sequer projetado.

Só o vazio
imenso
iniludível
fundindo a essência do ser
ao caos!

Já agora, me é negado o oxigênio.
Um jorro de sangue brota
nem sei de onde.
Meus olhos turvos contemplam a que há de vir
e ela está muito próxima!

Está bem aqui...

Me dá a mão...
Vamos passear...




 Escrito por moacircaetano às 10h30
[ ] [ envie esta mensagem ]



CONTATO

moacircaetano
teus pés no chão
sentem o frio?
e o arrepio em sua espinha
se avizinha?

teus pés no chão
esperam meus braços?

ou flutuam
soltos no espaço?

Teus pés no chão
deixam em minha boca
o gosto de solidão...


 Escrito por moacircaetano às 18h26
[ ] [ envie esta mensagem ]



ESPECTRO

moacircaetano


A dinâmica do tempo
é que me fez assim...

Nem muito nem pouco
nem fraco nem forte
nem bom nem ruim

Apenas um grão
levado

Apenas um homem
vivo
obedecendo ao ritmo

Apenas eu, apenas
à espreita
visualizando pela fresta
a saída de emergência!




 Escrito por moacircaetano às 13h43
[ ] [ envie esta mensagem ]



LINHA DE MONTAGEM

moacircaetano


Talvez Ele já tenha
desistido desse mundo
e já esteja trabalhando
num projeto melhor...

Esse já não vale o suor!




 Escrito por moacircaetano às 17h52
[ ] [ envie esta mensagem ]



CORAÇÃO

moacircaetano
Não se cola
Não se amarra
Não se emenda
Não se arruma com chave de fenda

Não se fecha
Não se abre
Não tem trinco nem chave

Não tem tranca, cadeado
Não tem remédio
Quando quebrado

Não tem santo que dê jeito
Já veio de fábrica
Com defeito

Acabou o prazo de garantia
A data de vaildade
Está vencida

Agora vai ter que usar
Desse jeito!
Imperfeito!

Serve?
Ou vai querer trocar?

...

(eu a esperar...)


 Escrito por moacircaetano às 21h35
[ ] [ envie esta mensagem ]



FREAK SHOW

moacircaetano


minha mente sabe dar cambalhotas
saltos mortais
etceteras
e tais

minha mente é trapezista
mas já brincou de palhaço
usa pernas de pau
que eu mesmo faço

minha mente é bailarina
e é ao mesmo tempo
pierrot e arlequim
minha mente é colombina
e o triângulo
vive em mim

Minha mente, coitada
já foi um belo dia
domadora de leões
e foi devorada
até os tendões

Minha alma, enfim
é o circo inteiro
mas até hoje tem vergonha
do picadeiro!



 Escrito por moacircaetano às 23h32
[ ] [ envie esta mensagem ]