Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


DISSECAÇÃO

ady cavalvante & moacircaetano


Acordou.
Quase morreu de susto.
Alguém estava deitado ao seu lado, soterrado debaixo das cobertas. Impossível. Fora dormir sozinho à noite, tinha certeza. Ninguém tinha a chave do seu apartamento.
Vagarosamente, se mexeu em direção à forma ali escondida. Num sopetão, arrancou as cobertas.
...
Era ele mesmo!

Mas não era inteiramente ele. Era sua metade. Sua melhor metade. E agonizava. Alguma forma de cisão o havia separado em dois. Sua metade mesquinha não lhe permitia ter piedade do ser que agonizava a seu lado. Sentia até um mórbido prazer. Decidiu não sair da cama. E olhando pra si mesmo, dormiu novamente.
Ao acordar, tudo o que havia acontecido lhe parecia um sonho. Mas ele não tem certeza. O que sente a partir daquele dia é que nunca voltará a ser o mesmo. De vez em quando, uma onda de súbito e inexplicado prazer o invade.


 Escrito por moacircaetano às 21h05
[ ] [ envie esta mensagem ]



LOLITA

moacircaetano
criancinha, ainda
ela já carregava em sua bolsa
uma coleção de sapinhos...

sapos que um dia
virarão princepezinhos...
tão bobinhos, os príncipes...
mas tão cheios de amor pra dar!


 Escrito por moacircaetano às 23h04
[ ] [ envie esta mensagem ]



LOVESTORY

moacircaetano


Ela não gostava de xavecos
muito menos ele
encontraram-se numa pizzaria
ele com calor, ela com sede

Ele pediu uma Coca
ela, um guaraná light
ele vinha do psicólogo
(recém-insight)
ela da academia
(lamba- fight)

Ela estava de shortinho
ele olhou meio de lado
ele todo engomadinho
pobre coitado!

Ela nem viu nosso herói
pediu uma vegetariana
ele só ficou na Coca mesmo
estava sem grana

Ela passou ao lado dele
e nem o notou
ao fundo, som ambiente
um antigo rock n' roll

Ela saiu pela porta
seu cheiro ficou no ar
ele sentiu algo estranho
não podia explicar

De repente ela voltou
tinha perdido seu chaveiro
viu aquele tipinho esquisito
contando dinheiro

Apesar dele ser feinho
alguma coisa aconteceu
uma chuva fina caiu
um frio a acometeu

o rapaz notou o calafrio
tirou seu blusão meio sujo
colocou nos ombros dela
(atrevido, o dito cujo!)

Em outro momento qualquer
ela iria às vias de fato
mas sentiu um cheirinho bom
invadindo seu olfato

Tirou o blusão, calmamente
jogou-o no balcão
dirigiu-se então à saída
(ele com a cara no chão!)

À porta, ela parou
e virou-se subitamente
rabiscou algo na parede
e foi-se rapidamente

Ele correu até a saída
na parede, havia um nome
e imediatamente embaixo
um número de telefone...




 Escrito por moacircaetano às 22h38
[ ] [ envie esta mensagem ]



NIRVANA

moacircaetano


Há um momento em que os sonhos não interessam mais!

Hora madura, serena
em que o homem encontra sua felicidade
nas pequenas coisas que o rodeiam.
É feliz com a realidade.

É feliz ao presenciar um pôr-do-sol.
É feliz ante uma taça de vinho branco.
É feliz por viver. Por ter amigos.
Por não ter motivo nenhum de pranto.

É feliz quando beija os lábios da mulher amada.
E quando ouve um de seus velhos discos.
É feliz com os sons da madrugada.
E quando o sol rasga o escuro com seus riscos.

É feliz pela ausência da tristeza.
É feliz... feliz simplesmente!
Há um momento em que os sonhos não são mais desafios
mas apenas presentes!


(Dúvida: já se pode falar em velhos CD's?)



 Escrito por moacircaetano às 21h23
[ ] [ envie esta mensagem ]



DISRITMIA

moacircaetano
tumtum tumtum tumtum
meu coração descompassado
tumtum tumtum tumtum
cuidado cuidado cuidado!
desse jeito arrebenta
desse jeito explosão
que doidinho esse meu coração!


 Escrito por moacircaetano às 20h05
[ ] [ envie esta mensagem ]



SEDE

moacircaetano
O Planalto Central também venta em mim...
o calor seco e sufocante do cerrado goiano...
o sol... escaldante...
por isso aprendi a criar minhas próprias zonas de sombra
e preencher os interstícios com luz.
por isso aprendi a dança da brisa
conjugada ao tango da chuva!

Destino é o nome que damos para o imponderável
quando a dúvida eterna nos sufoca.

Sou, sim, e me faço
de acordo com o segundo imediatamente anterior.

Cronogramas? Impossíveis!
Previsões? Insustentáveis...

Talvez por isso mesmo meu canto dolorido me preencha
e me traga sempre, sempre de volta!


 Escrito por moacircaetano às 10h39
[ ] [ envie esta mensagem ]



ÍNTIMO

moacircaetano


Não me importa
que à minha volta
as borboletas revoem incessantemente
ou que o sol cante algo em meus ouvidos
ou que a chuva serpenteie por meu corpo

Não me importa
que o curso dos rios pare por um instante
que a lua brilhe um pouco além do usual
e que a música abandone meu casulo

Não!
Não me importa!

Pois embaixo dos meus pés
um jardim floresce
e fala de sorrisos e abraços
e fala de murmúrios e gemidos
e grita algo de você!

É verdade:
um espinho me perfurou a pele

o sangue deixou minha carne
e no muro branco escreveu:
Patrícia!




 Escrito por moacircaetano às 21h03
[ ] [ envie esta mensagem ]



MONTANHA-RUSSA

moacircaetano


O mundo gira ao seu redor.
O estômago dá voltas e voltas.
O fôlego falta.
O oxigênio é pouco.
Sensação de liberdade, de emoção.
A vida em um milhão de pedaços dividida.

Mas no fim...
de volta ao ponto de partida!




 Escrito por moacircaetano às 21h44
[ ] [ envie esta mensagem ]



PRENÚNCIO

moacircaetano


A chuva já está ensaiando
há algumas horas...

Faz barulho em minha janela
colore o céu de rubro
mexe a copa das árvores
descabela as palmeiras
dá aos pássaros a fuga
dá às nuvens o caos
enche o ar de umidade
e redefine a realidade...

A chuva ensaia há algumas horas
mas não vem...




 Escrito por moacircaetano às 23h56
[ ] [ envie esta mensagem ]




blá.blergh,cof cof
zap! soc! pow! pof!
um filme antigo do homem morcego
ego, id e superego
cem suaves prestações
devo, devo e não nego!
meu e dela:
http://www.aindaela.blogspot.com/

 Escrito por moacircaetano às 22h32
[ ] [ envie esta mensagem ]



INOCENTE ÚTIL

moacircaetano
Quando cheguei
a cidade já estava destruída!


 Escrito por moacircaetano às 19h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



SÉCULOS

moacircaetano


Entenda:
               não foram as tuas unhas
               que se cravaram em meu dorso
               mas foi com teu sangue
               que rabisquei o meu esboço

Entenda:
               não foi naquela noite
               o fim da nossa história
               antes que os momentos
               se transformassem em memória

Entenda:
               não fui eu (nunca foi)
               quem se transformou em mim mesmo
               mas teu ser insatisfeito
               que me vagou a esmo

Não entenda!
Não ouça!
Não grave o meu senão!
Apenas ouça minhas retinas
e saboreie a ausência
da nossa paixão!




 Escrito por moacircaetano às 08h08
[ ] [ envie esta mensagem ]





 Escrito por moacircaetano às 15h41
[ ] [ envie esta mensagem ]



OFF ROAD

moacircaetano
um caminho é sempre lindo...
por mais que a paisagem ao redor seja desoladora
por mais que as árvores sequem nas alamedas
por mais que o sol queime
e cada passo leve uma eternidade
e que suas pernas estejam cansadas
e que sua vontade se reduza a nada...

um caminho é sempre lindo...
ainda que seu corpo cansado
quede à beira da estrada
ainda que os riachos tenham secados
e que o mato esteja destruído
pelo estouro da boiada...

um caminho é sempre lindo
pelo simples fato de ser um caminho...
por apontar uma direção...
esteja certa ou não!


 Escrito por moacircaetano às 22h21
[ ] [ envie esta mensagem ]



CAFÉ

moacircaetano
a vida amanhece a cada manhã
junto com o sol, o pão e o café...

alguns a deixam ali no canto
como um chinelo velho
um resto de pizza de anteontem
ou o jornal de domingo...

alguns acordam
e beijam a boca da vida
sabendo que um dia
ela não estará mais ali...

eu?... depende do dia!
e você??


 Escrito por moacircaetano às 19h51
[ ] [ envie esta mensagem ]



Iluminou-me o teu olhar
às três horas da manhã
no afã
esqueci-me de mim mesmo

a esmo
a caneta e o divã
foram meu ancoradouro

na encruzilhada
um duelo de espada...
a princesa e o mouro
numa luta encarniçada!



 Escrito por moacircaetano às 13h58
[ ] [ envie esta mensagem ]




Hoje, sem palavras...

 Escrito por moacircaetano às 14h30
[ ] [ envie esta mensagem ]



PRESENTE

Hoje, pra quem não sabe, é o meu aniversário.
E recebi um presente maravilhoso, inesperado, delicioso.
Poesias de pessoas muito importantes para mim:
Hoje então me dispo da minha armadura de poeta e entrego este espaço a essas pessoas maravilhosas:


HOJE É DIA DE MOACIR

PATRÍCIA

Hoje o dia despertou diferente
com ar de festa e alegria
Hoje é dia de comemorar
o parto da poesia
Anos atrás ela deu a luz
Nasceu o filho da arte
moacircaetano...
Sonetos, versos, rimas
por toda parte

ADY

Um menino irrequieto
Não sabe ficar sem criar
E inventa poesias
De uma beleza sem par
Faz tudo isso brincando
Até mesmo sem pensar
Quem sabe um dia eu aprendo
A "moacircaetanear"

DECCA

Menino adorável
De grandeza rara
De rima rica
De alma clara
A despir, a nutrir, a repossuir,
A desengolir e compartir e ebolir
A implodir e a parir esse etecétera e tal, de Moacir!

ZeRo S/A
 
MOACIR
MOACIR
MOACIR
MOACIR
MOACIR
MOACIR


O que dizer?
Me faltam palavras, então só digo:
Obrigado!!!!!



 Escrito por moacircaetano às 14h33
[ ] [ envie esta mensagem ]



INVICTO

moacircaetano
no meu caso,
invado com a poesia...

destruo fronteiras
instalo barreiras
provoco o conflito...

me caso com as princesas
lhes faço filhos
lhes dou o infinito...

promovo o caos.
pois é no caos
que acredito!


 Escrito por moacircaetano às 15h45
[ ] [ envie esta mensagem ]



MEMORANDO

moacircaetano


transitórios
foram teus beijos...

eternas
as marcas
que eles deixaram em mim!




 Escrito por moacircaetano às 08h55
[ ] [ envie esta mensagem ]



INSÔNIA

moacircaetano


Leio em tuas entrelinhas
os cabelos desgrenhados
que um dia iluminaram
um de meus maios.

Eles não existem mais...
ao menos não
na dimensão
insuspeita
da minha pele...




 Escrito por moacircaetano às 08h56
[ ] [ envie esta mensagem ]





 Escrito por moacircaetano às 05h58
[ ] [ envie esta mensagem ]