Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


ON THE ROAD

moacircaetano
Viagem pra lá
Viagem pra cá
Acreúna, Rio Verde, Caiapônia
Ainda bem
que não sofro de insônia

Viagem prum lado
Viagem pro outro
Só hoje, quinhentos quilômetros
Vou acabar
com um parafuso solto!

Viajo, vou, fico e volto
Um dia em cada cidade
Se não me mata o cansaço
Acaba me matando a saudade!



 Escrito por moacircaetano às 20h51
[ ] [ envie esta mensagem ]




Ao acordar do dia
teus cabelos me beijaram
como a dizer:
"Bom dia, os raios de sol chegaram..."

Beijei-os, um a um
e minhas mãos enternecidas
viajaram por tua pele
ainda um pouco adormecida...

Naquele momento agradeci
e te amei ainda mais...
No nosso abraço preguiçoso
minha alma estava em paz...



 Escrito por moacircaetano às 17h56
[ ] [ envie esta mensagem ]



SANGUE

moacircaetano
A platéia aguardava, como sempre...
Os olhos vidrados no palco,
as mãos preparadas para as palmas,
os ouvidos atentos, a percepção aguçada.

As cortinas se abriram!

Todos aguardavam, sabendo-se donos daquele momento.
Cada um com seu quinhão de poesia nas mãos.

Mas um se levantou
e exigiu silêncio.
Subiu as escadas laterais
e matou o poeta.

A platéia, indecisa,
não sabia se chorava
ou se ria...


 Escrito por moacircaetano às 07h13
[ ] [ envie esta mensagem ]




Hoje não vou poetar por aqui não...

Vou mandar vocês pro Blog de Sete Cabeças, onde estou em ótima companhia.
Um poeta a cada dia. Meu dia é o sábado.
Tema dessa semana: SETE!

Vão lá:
http://blogdesete.blogspot.com/




 Escrito por moacircaetano às 14h11
[ ] [ envie esta mensagem ]



DEUS

moacircaetano
Deus é uma mulher, eu sei!
E deve ser morena!
Apaixonada, impetuosa,
dessas que vestem rosa
e fazem o mundo valer a pena!

Deve ter enormes olhos negros,
lagos repletos de promessas
e infinitos de segredos...
cabelos longos que revoam
e nos matam de desejo!

Deus é uma mulher das mais vaidosas!
Deus se enche de perfumes
e se banha de jóias.
Deus é uma mulher, com certeza,
das mais misteriosas!

Deus é uma mulher provocadora,
feliz, sensual, insinuante,
gosta que lhe escrevam poesias,
gosta de preces e elogios,
ama devoção e diamantes!

Deus é uma mulher super ciumenta.
Deus é uma mulher desesperada.
Vasculha gavetas,
revira bolsos, remexe a carteira,
rasga fotos de antigas namoradas!

Deus é uma mulher, você duvida?
Olha a loucura deliciosa dessa vida!


 Escrito por moacircaetano às 20h56
[ ] [ envie esta mensagem ]



DEUSA

moacircaetano
Enquanto eu me afogo
ela anda sobre as águas

enquanto naufrago em minhas mágoas
ela separa a água dos mares
e desliza...
surfando sobre a brisa!


 Escrito por moacircaetano às 13h45
[ ] [ envie esta mensagem ]



PATRÍCIA

moacircaetano
Escrevemos em nossos corpos
uma linda canção de amor
com tinta e batom
com beijos e lápis de cor

Uma obra de arte
a nossa composição
escrita com grafite
orgasmos e carvão

Em mim, ainda pulsam
impressas em minha alma
tua fúria e tua calma

E em ti, minha essência
em tuas entranhas trêmulas
ainda brilha, ainda queima...



 Escrito por moacircaetano às 07h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



QUE BOBAGEM!

josué gomes & moacircaetano


Que bobagem...
queria que estivesse sol
mas a chuva não dá tempo
me enche de tristeza e só

Que bobagem...
queria que estivesse sol
você no meu pensamento
teu sorriso de farol

Esse tempo, constelação
que me veste, verte, amplidão
tempo triste, triste que só
tempo à toa, tempo solidão
passa o tempo, faz um vento e mais paixão
aflição...
Quer ouvir?
http://moacircaetano.castpost.com/



 Escrito por moacircaetano às 17h07
[ ] [ envie esta mensagem ]



SAMURAI

moacircaetano
Corta-me os ossos
e alma
vê se descobre em algum lugar
um pouco mais de calma...

Corta-me os olhos
e as mãos
quem sabe do sangue não desabe
um pouco de perdão...


 Escrito por moacircaetano às 16h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



O VIVO MORTO

moacircaetano
Estou morto, eu sei! Morto da silva! Mortinho, mortinho! Mas ninguém vê!
Curioso... Como isso é possível?
Como as pessoas podem não notar a ausência de vida em mim?
Posso sentir os chumaços de algodão em minha boca. O cheiro podre e nauseante da minha própria decomposição. O ruído incessante, ensurdecedor, das bactérias me devorando, se multiplicando. Estou morto, e dói!
Ainda agora alguém apertou minha mão. Me desejou bom dia. Outro alguém - uma mulher - me deu um abraço caloroso. Me parabenizou por algo que não sei bem o que é. Não os reconheço. Onde antes haviam meus olhos, as órbitas ecoam, vazias. Onde antes minha audição, um zumbido estranhamente mudo.
Continuo caminhando, embora minhas pernas estejam cada vez mais rígidas. Quando ando, tudo range. Como velhas dobradiças enferrujadas. Como portas deformadas pelo tempo e pela inação.
Uma mão segura a minha. É ela. Posso conhecê-la. Apesar de nada ouvir. Apesar de nada ver. Posso conhecer o toque suave e eterno de carinho, quase um hino de amor e admiração. Ela beija minhas mãos. Se recosta em mim. Ela também não sabe!
Não nota meus cabelos caindo pelo chão. Não sente minhas unhas despencando dos meus dedos. Não vê, não sente medo.
Quero abraçá-la, mas não consigo. Meus braços estão além da minha vontade. Quero beijá-la, mas não tenho mais lábios. Já se foram. Quero gritar, mas minhas cordas vocais se dissolveram.
Então é isso a morte? O pior é a decepção. Sempre imaginei a morte como uma gloriosa transição. Luzes angelicais e paisagens deslumbrantes. Sons de harpa e vozes amigas. Meu avô me buscando pela mão... Besteiras hollywoodianas!
Sei que estou morto. Sem direito a velório e caixão. Sem direito a último pedido. Sem direito ao perdão.
Quando será que ela vai perceber o silêncio onde antes as batidas do meu coração???



 Escrito por moacircaetano às 09h34
[ ] [ envie esta mensagem ]