Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


VENTO

moacircaetano
O que é a vida, senão oferenda?
Ofício e arte, doar-se em prenda.
O que é a vida, senão um vislumbre
de algo além, de algo alhures?
Luz e não, sim, escuridão,
aurora e vagalume.

...e o que é a poesia
senão um pedaço de vida?
Um papel que se desmancha...

Uma enxurrada.

Um assovio.

Uma lembrança...



 Escrito por moacircaetano às 08h38
[ ] [ envie esta mensagem ]



DESTINO

moacircaetano


Uma bala não tem destino
e nem orientação
é um corpo em movimento
à espera da explosão

Uma bala não tem roteiro
e nem itinerário
é uma chama cortante 
buscando o seu contrário

Uma bala não tem dono
e nem destinatário
é simplesmente Deus
em sentido anti-horário

Uma bala é uma bala
sem mistério, sem fortuna
sem sorte
é um presente do destino
embalado em morte!



 Escrito por moacircaetano às 17h14
[ ] [ envie esta mensagem ]



SUPERNOVA

moacircaetano
Um dia meu universo
colidiu com o teu
criando planetas
e mundos ateus

Da explosão, quase nada restou
apenas teus olhos tristes
e meu medo de vôo



 Escrito por moacircaetano às 10h09
[ ] [ envie esta mensagem ]



ESTALAGEM

moacircaetano
Tendes vaga
pra um pobre viajante?
Desses, que andam sem espada,
sem cavalo, sem armada,
apenas uma carcaça cansada
e um passo hesitante...

Trago apenas
a lua e alguns desejos...
Algo de sonho e de tristeza,
palavras soltas, estranheza,
um dicionário rouco
e um copo de cerveja.

Me contento
com uma cama quente e licor
com teus lábios furta-cor
com tua dose de mistério
um carinho etéreo
e teu naco de ardor!

Em pagamento
escrever-te-ei em meu diário,
beijarei-te o necessário
para que adormeças...
com minhas lágrimas em teu aquário
e minha lembrança em tua mesa...


 Escrito por moacircaetano às 11h27
[ ] [ envie esta mensagem ]



ENFIM

moacircaetano


Se quedou - vazio - em minhas mãos
o tempo que se foi
repleto de ausências e de medos
de arvoredos descampados
e avenidas de segredos

Em meio à poeira do chão
o vento brincava vadio
levando aqui e acolá
uma joaninha ou um galhinho
como num jogo de armar

Olhei as rugas do meu rosto
e o lago me sorriu
afoguei ali o meu desgosto
entre os peixes fugidios
e o finzinho de agosto



 Escrito por moacircaetano às 09h30
[ ] [ envie esta mensagem ]



MATEMÁTICA

moacircaetano
AUSÊNCIA = SAUDADE


 Escrito por moacircaetano às 08h22
[ ] [ envie esta mensagem ]



DE VAGALUMES E ESPANTALHOS

Eloisa Navarro



Tu és um homem fechado.
O mundo te tornou egoísta e mau.
E a tua poesia é um vício triste, desesperado e solitário.
Que tu fazes tudo por abafar.

Mas eu apareci com a minha boca fresca de madrugada,
com o meu passo leve,
com esses meus cabelos...

E o homem taciturno ficou imóvel, sem compreender
nada, numa alegria atônita...

A súbita, a dolorosa alegria de um espantalho inútil
aonde viessem pousar os passarinhos.



 Escrito por moacircaetano às 21h54
[ ] [ envie esta mensagem ]



VIAGEM

moacircaetano
Um dia
três sóis desceram dos céus...
e tudo se fez espanto!
oharam pra todo canto
procurando por algo em nós...
mas éramos apenas sombras, e eles sóis!


 Escrito por moacircaetano às 08h20
[ ] [ envie esta mensagem ]