Counters
Free Counter omnia mutantur, nos et mutamur in illis


Viagens...

> moacircaetano todo prosa <

> flickr <

> desenhos e photoshop <

> retratista <

> armazém de coisas <

> blog de 7 cabeças <

> músicas com josué <

> fotolog com Miriam e Ju <

Antes...

01/01/2017 a 31/01/2017
01/12/2016 a 31/12/2016
01/10/2016 a 31/10/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/03/2016 a 31/03/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/12/2015 a 31/12/2015
01/10/2015 a 31/10/2015
01/05/2015 a 31/05/2015
01/02/2015 a 28/02/2015
01/11/2013 a 30/11/2013
01/04/2013 a 30/04/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/01/2013 a 31/01/2013
01/12/2012 a 31/12/2012
01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/03/2011 a 31/03/2011
01/08/2010 a 31/08/2010
01/07/2010 a 31/07/2010
01/03/2010 a 31/03/2010
01/08/2009 a 31/08/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004
01/04/2004 a 30/04/2004
01/03/2004 a 31/03/2004


Links Amigos
 A Mulher que eu amo!!! (fotolog)
 A Mulher que eu Amo!!! (blog)
 Olívia e Bolívia
 A Madahlena sem Arrependimento
 Aline
 Andréa Del Fuego
 Ana Paula Mangeon
 Bizarro Deslumbre
 Borboleta e Joaninha
 Breves Histórias Cotidianas
 Calcinhas ao Léo
 Carla Juliano
 Césped Vesper
 Coisa Rara
 Coração na Boca
 Creolina
 Czarina
 Diovvani Mendonça
 Infinit Loop
 Decca e seus rabiscos
 Demasiadamente Inconstante
 e-pistolas
 Elaine Lemos
 Enfim tudo de novo
 Ensaios do Eu
 Escuchameporra
 Fada Milly
 Farinhada
 Fernando Palma
 Flores, Pragas e Sementes
 Gaveteiro
 Giramundo Giraeu Girassol
 Histórias e Vitórias
 Isabellinha, Movimentando o Nada
 Japonês em Braille
 Josué Gomes
 Keila, sobre caminhos e pedras...
 Leite de Letra
 Letra Preta
 Lobotomy Cafe
 Lomyne
 Lugar Gostoso
 Lume Vagante
 Marcelo Brettas
 Marluquices
 Mendoscopia
 Meu Contratempo
 Mia Geodésica
 Monopólio
 Múcio Góes
 Mundo Estranho
 Noturnolândia
 Rainha de Copas e seu sorriso de arco-íris
 Remo Saraiva
 Rita Apoena
 Samia
 Sandra Souza
 Saramar
 Torre de Bebel
 Um Anjo Pornográfico
 Um Tiro no Escuro
 Veronique
 Versos deLírios
 MUSICOVERY
 Devaneios Aéreos
 Nati Alves
 Hipácia
 O Mundo de Paco
 Tati Messias
 Suspiros de Sabrina
 Adyverso
 Verbologue
 Sentir é um Fato
 Mainha me deu lápis
 Ramon Alcântara









moacircaetano


CALOR

Pensei em fazer uma poesia,
mas a cada estrofe que eu escrevia,
uma rima se derretia...
...
Antes de saírem da minha boca,
as palavras se rebelavam, loucas,
querendo rasgar suas roupas!

Num movimento só,
minha inspiração, ao sol,
se transformou em suor...

E agora, meu verso quebrado,
se deita ao chão, do meu lado,
e exige um ar-condicionado!



 Escrito por moacircaetano às 11h14
[ ] [ envie esta mensagem ]



DIETA

E esse regime salafrário,
que já durou muito mais
que o estritamente necessário?

É sempre mais difícil
quando não satisfazemos
nossos vícios!



 Escrito por moacircaetano às 11h14
[ ] [ envie esta mensagem ]



IMOBILIÁRIA

Quando eu era criança, me lembro que achavam o máximo casas grandes, com amplas varandas, salas enormes, quartos gigantescos e muito espaço pro ar circular...
As crianças se divertiam, com seus corredores de 2 metros de largura por 20 de comprimento... a poeira não parava quieta, sempre com um danado de um vento a empurrá-la pra lá e pra cá... e o sol entrava sem ser convidado pelas absurdas janelas, que de tão grandes precisavam de pelo menos duas pessoas pra empurrarem as pesadas folhas de madeira.
Hoje o mundo é extremamente prático, e o chique é ter um apartamento super enxuto, com aproveitamento pleno de espaços, ar condicionado, iluminação artificial e comandos de voz. Inteligentes, quase não precisam da gente, apagando as luzes ao nascer do sol e avisando com um elegante bipe quando a temperatura ameaça o equilíbrio interno...

E não é que hoje, como antigamente,
as casas são mais ou menos como o coração da gente?



 Escrito por moacircaetano às 11h13
[ ] [ envie esta mensagem ]



ITINERÁRIO

Pululando entre nuvens e estrelas,
encontrei umas rimas, e ao vê-las,
guardei umas no bolso, outras entre meus dentes,
e voltei à terra um pouco diferente...

Agora cada dia parece-me suspeito,
com suas virtudes e defeitos
completamente superlativos...

Incapaz de voltar ao mundo real,
estendo meu coração no varal
e planto em minhas entranhas cada um daqueles sorrisos!



 Escrito por moacircaetano às 11h11
[ ] [ envie esta mensagem ]



MUSEU FELICIDADE

O agora, veja, se acaba
no segundo imediatamente posterior
ao que aconteceu...

Quando a pessoa menos espera...
Puft! Já era!
Virou passado
nas esquinas apressadas do eu!

Um novo agora nasce, irremediavelmente,
das cinzas do que passou de repente.

Eu faço assim, vou te contar:
recorto os pedaços de papel brilhante 
do momento que passou
e prego na minha parede feita de ar...
com pregos feitos de instantes
e repintados com o que sou.

Estão todos aqui, cada história,
cada naco vivo de memória,
sorrindo pra mim entre os pilares do tempo.

Estendo a mão, os toco,
e mantendo na felicidade o meu foco,
me embriago em agradecimento...



 Escrito por moacircaetano às 11h11
[ ] [ envie esta mensagem ]



AMPULHETA

A transitoriedade do instante
já me incomodou bastante... 
Não mais!
Agora encontro paz
na ideia dos minutos se sucedendo
e compreendo
a estrutura dinâmica do tempo...

Deixo ao segundo imediatamente posterior
a construção de si próprio
e me entrego, leniente, ao ópio
da felicidade por si só...

E alegre de um jeito quase indecente,
desafio a tristeza que às vezes nasce dentro da gente!



 Escrito por moacircaetano às 11h10
[ ] [ envie esta mensagem ]



ANCAS

Houaiss diz: 
cada uma das laterais do corpo humano, 
da cintura à articulação da coxa; 
cadeira, quadril.
Definição simplista, poxa...
Quase pueril!

Minha definição, de fato:
Quando você está de quatro
e eu te agarro, sem dó nem piedade,
ali, onda o desejo arde,
onde minhas mãos apertam com força
fazendo com que seu corpo se contorça ,
arrebentando todas as trancas...
ali, meu amorzinho, são as ancas!



 Escrito por moacircaetano às 11h10
[ ] [ envie esta mensagem ]



DÚVIDA

Em tempos de guerra
erra
quem prefere a paz?

Em tempos de tomada de posição
é bundão
quem acha que tanto faz?

Em épocas como estas,
de parcialidade, de interesses,
de privilégios e benesses,
do famoso jeitinho brasileiro,
de tudo movido a dinheiro,
da vitória pela opressão,
de não aceitarem sua opinião,
de politicamente incorreto,
desse cinismo discreto
e da falta de privacidade...

Em tempos como este
é crime ser feliz de verdade?



 Escrito por moacircaetano às 11h09
[ ] [ envie esta mensagem ]



TORRENCIAL

Torrencial,
a chuva lavou o quintal,
afogou cada folha de grama,
derrubou a porta de entrada,
molhou as roupas de cama,
deixou a casa sem nada.

Livre da poeira
e das roupas penduradas no varal,
minha poesia fez uma fogueira,
sentou-se em frente ao caos,
abriu uma cerveja gelada
e começou de novo, do nada!

Quando a Guarda Nacional chegou, enfim,
encontrou um bolo assando no forno
e flores nascendo no jardim!



 Escrito por moacircaetano às 11h09
[ ] [ envie esta mensagem ]



PREPARAÇÃO PARA A CHUVA

Escuta o cheiro da terra molhada...
Antes mesmo que a primeira gota toque o ar!
Sente o silêncio das coisas ao redor...

Os pássaros que se aquietam,
as pessoas que se escondem,
os gatos e cachorros com medo de se molhar...

Apenas as crianças se assanham, e saem,
brincando de soldados, de marinheiros,
imaginando um mundo todo particular...

Na cama, os casais se aconchegam, buscando a quentura.
No comércio, os vendedores suspiram e bebem um cafezinho.
Nas ruas, guarda-chuvas bailam procurando espaços entre as gotas de chuva...

Em suas lembranças, um pouco de melancolia surge,
misturada a uma preguicinha malemolente,
memórias de um tempo que nem mesmo chegou a ser...

Debaixo de sua coberta, mira o mundo!
Ele nada mais é que a soma de todas as coisas,
dispostas de forma caótica sobre a superfície da realidade!

Calmamente, perdoa a ti mesmo...
Ouve o gemido suave da brisa
e fecha os olhos.

Pronto! Agora pode chover!
O sol já está dentro de você!



 Escrito por moacircaetano às 11h08
[ ] [ envie esta mensagem ]



O MUNDO

O mundo é esse lugar...
Esse espaço que ocupamos com nossos corpos,
com nossas almas, nossos sonhos, desejos...
o volume de vazio que deslocamos com nossos sentidos...

Não existe outro...
(Ou se existe, dele não temos provas cabais!)

Na verdade, o mundo é o momento em que vivemos...
Passado e futuro não existem... são, respectivamente,
reações químicas que arquivam em nosso cérebro algumas memórias
ou desejos, devaneios e tentativas de se planejar o que virá.

Podemos dizer que o mundo é apenas um átimo,
o segundo que imediatamente se desvanesce,
um piscar de olhos, um bocejo...
O mundo é destruído a cada instante,
e renasce no momento subsequente,
apenas levemente diferente.

Os heróis, os poetas e os loucos
são aqueles que, no intervalo entre os instantes,
quebram a estrutura do tempo
e inserem, serelepes,
um algo de estranheza e de provocação,
esperando que o resto do mundo vislumbre
o que pra eles já nasceu.

O mundo é o que fazemos da nossa vida
nos intervalos entre nossas diárias pequenas mortes.

Por isso recomendo a versão do diretor,
sem edição, sem censura e sem cortes!



 Escrito por moacircaetano às 11h05
[ ] [ envie esta mensagem ]



MOSAICO

Deixa a dor pra lá!
Vamos viver, vamos amar...

Vamos percorrer o mundo com os pés descalços.
Os cacos
de vidro são um nada, uma simples distração,
pra quem caminha com a sola do pé alguns centímetros acima do chão!



 Escrito por moacircaetano às 11h05
[ ] [ envie esta mensagem ]



CALOR (II)

É noite, e são trinta e quatro graus, 
e penso que bom
seria usar teu beijo como ar condicionado
e tua nudez como meu edredon!'



 Escrito por moacircaetano às 11h04
[ ] [ envie esta mensagem ]



PAMONHA

Pamonha
é coisa boa demais...
Ainda mais se é um goiano quem faz!

A massa molinha, cremosa,
uma fatia de queijo generosa,
aquele cheiro de milho granado,
o sabor exótico, encorpado,
um café bem preto acompanhando...
e o tempo que, bem devagar, vai passando...

E mais divertido, 
meus queridos,
é se juntar pra farra de cozinhar,
trazer umas três mãos de milho* pra cá,
se sentar com uma faca de mesa só
e tirar os cabelos até a espiga ficar pelada,
ralar um pedaço do dedo no ralo da vovó
e rir que nem besta da própria trapalhada!

Mas olha... pamonha é assunto sério!
É um dos mais belos mistérios
das mãos das goianas mulheres!
Mulheres que são belas, tantas,
com suas bamboleantes ancas
e seus quatrocentos talheres!

Tem quem goste mais das de sal...
Eu, que nunca fui muito normal,
gosto mais das pamonhas de doce,
(como se alguém que gosta de tal delícia
anormal fosse!)

E lá se vão uma, duas, três,
e nem sobra pro gato pedrês
nem pro boi da cara preta!
Pamonha é quase melhor que... careta!

Um dia, eu, que sou tào sem vergonha,
ainda morro de tanto comer pamonha!
Com uma caganeira danada
e um sorriso enorme na cara!

*Pra quem não sabe, uma mão de milho é uma medida muito específica, e equivale a 50 espigas de milho.



 Escrito por moacircaetano às 11h04
[ ] [ envie esta mensagem ]



PIQUE-ESCONDE

O amor se esconde
nos lugares mais insuspeitos...
Numa sala de espera,

em corredores estreitos,
do lado de fora da sala de estar,
morrendo de medo de alguém chegar,
em quartos sem ar condicionado
ou no escuro dos silêncios trocados.

O amor se esconde, veja,
em dois copos de cerveja,
ou num rock dos anos oitenta
em qualquer noite barulhenta...
Se esconde numa taça de tequila,
num pilequinho do bom...
No abraço por trás
ou na ausência do batom!

O amor é bicho esperto,
gosta de estar sempre por perto,
seja num fast-food japonês
ou numa frase em francês...

O amor é escorregadio,
quando chega sente frio,
mas depois se derrete em calor...
O amor ouve músicas qualquer,
e no seu doido bem-me-quer
goza seja lá como for!

O amor tem vários apelidos,
e atende por qualquer um, assanhado...
Ele pula o muro, atrevido,
fica se olhando em espelhos
e acha tudo engraçado!

O amor tanto pula e tanto apronta,
que um dia não vai dar conta
e vai ter que fazer raio-x:
Na chapa iluminada em preto e branco
vai aparecer, escrito em esperanto,
brilhando, a palavra FELIZ!



 Escrito por moacircaetano às 11h03
[ ] [ envie esta mensagem ]



AS INCRÍVEIS FACILIDADES E CONVENIÊNCIAS DO MUNDO MODERNO

Hey, baby, facebook-me,
pra que possamos bater um papo legal...
Pra que eu saiba da sua vida e você da minha,
sem perdermos tempo com ladainha
e coisa e tal!

Você sabe, de cantada nunca fui muito bom...
Aqui no ambiente virtual
não preciso comprar rosas ou bombons,
muito menos saber a palavra certa na hora certa...
Posso colocar um avatar de galã
e ficar de moleton embaixo da coberta!

Que preguiça de abrir a porta do carro pra você
ou qualquer outro gesto romântico cafona...
Além disso, me deixam exausto
o efeito da testosterona
ou as descargas de adrenalina...
Aqui na internet é que a gente combina!

Gata, deixa eu conectar
o seu IPhone ao meu...
Não se estresse,
vamos ativar nossos GPSs,
pra que um saiba exatamente
onde o outro se meteu!

Benzinho, me adiciona no seu instagram!
Eu quero saber o que você comeu
ontem à noite e hoje de manhã.
Quero usar um filtro bem esperto...
Melhor que ficarmos de perto
e nos arriscarmos a não gostar, por exemplo,
dos nossos cheiros ou das nossas vozes...
Afinal, as árvores somos nozes!

Encontro romântico é coisa muito complicada,
estamos sempre com nossas agendas lotadas!
É melhor cada um ir pra onde quiser!
A gente pode se acompanhar pelo foursquare!

Princesa, por favor, não me condene...
Mas vamos conversar pelo MSN,
é bem melhor um papo virtual
(assim você não nota como eu sou boçal)...

E se, no final da noite,
a gente estiver ardendo de tesão,
não se preocupe, eu tenho a solução...

Conectei minha webcam à televisão!



 Escrito por moacircaetano às 11h02
[ ] [ envie esta mensagem ]



BRISA

Não fique jururu!
Eu sei, a vida às vezes é um cu 
(com o perdão da palavra feia),
mas no final, no fundo da bateia,
tem sempre um pozinho de ouro...

Não fique assim, um tesouro
aguarda no fim do arco-íris colorido
(não te disseram?)...
Ainda que os dedões estejam doridos
das topada nas pedras que vieram!

O caminho é íngreme, espinhoso,
cheio de armadilhas escondidas,
homens-bombas suicidas,
mas há que se roer o osso,
quebrar a costela da vida,
dobrá-la à nossa vontade,
ainda que seja com poesia
e um pouco de felicidade!

Não fique jururu!
A vida, eu sei, às vezes é um cu
(com o perdão da palavra indevida),
mas tem sempre um ombro amigo,
alguém pra te proteger dos perigos,
um carinho, uma frase, um riso,
a lhe lembrarem que nem sempre é preciso
ser infeliz no processo...

Pra sorrir não se paga ingresso!



 Escrito por moacircaetano às 11h00
[ ] [ envie esta mensagem ]



BEIJOS

Beijos não são beijos... são lugares!
E por eles viajamos, aéreos,
nos transportamos, etéreos...
nos deslocamos no espaço e no tempo
sem passagem, sem bagagem...
apenas com a força do sentimento!

Beijos são imensas catedrais
em homenagem ao desejo...
Há cidades fenomenais
em alguns beijos!
Metrópoles inteiras,
domingos e sexta-feiras,
com gente andando pelas ruas, 
engarrafamentos,
prédios em concreto, pavimentos...

Certos beijos são percorridos em alta velocidade,
com pressa, com urgência e necessidade!
Outros não, são um trabalho de artesanato,
cada detalhe esculpido com todo o cuidado...
E, dependendo da extensão da saudade,
ou do tesão, ou da vontade,
trilhamos uma ou outra estrada...
O resto é névoa, é nada!

Beijos não são beijos, são lugares, destinos...
e em sua imensidão nos perdemos, pequeninos...



 Escrito por moacircaetano às 11h00
[ ] [ envie esta mensagem ]



SURPRESA

Ninguém é velho o suficiente, querida,
pra não ser surpreendido pela vida!

Não importa, meu bem,
se você tem vinte, quarenta ou cem.
Ninguém
está a salvo da surpresa que é 
essa vida sem cabeça nem pé.

Não adianta se fechar num redoma
nem esquecer que existe um mundo lá fora.
Uma hora
a vida bufa, boi brabo, e retoma
as rédeas do seu destino já conformado
e vira tudo de lado,
tudo de pernas pro ar...
Melhor se segurar!

E enquanto a gente pensa, inocente,
que viveu tudo o que se tinha pra viver,
e fica mofando em frente à TV,
a vida, bicho danadinho, espreita a gente
e de repente
faz do caminho montanha-russa
e roda gigante...
E quem tiver pernas que se levante!

Ninguém, é velho o suficiente, meu amor,
pra dizer que a vida já se acabou...
E dá-lhe calafrios, palpitações, suores,
cenas proibidas para menores,
quase infartos, loucuras incuráveis,
risadas sem motivo e talheres descartáveis,
explosões de imaturidades juvenis,
insônias e meneios de quadris...

Ninguém é velho - nem novo - o suficiente
pra não ser levado pela água (vida) corrente!



 Escrito por moacircaetano às 10h57
[ ] [ envie esta mensagem ]



FOTOMETRIA

A fotografia que nunca foi tirada
não é só uma fotografia...
são tantas!
São todas as que foram pensadas.

A imaginação desenha o cenário,
os olhos fechados adivinham a luz,
a criatividade sugere as formas,
e até mesmo as cores (ou o preto e branco).

Mas a máquina não acionou nenhum obturador.
E a luz perfeita,
o enquadramento exato,
a composição única
se perderam...

Desperdiçada,
a fotografia que nem sequer existiu
vai se esmaecendo ao sol da manhã...



 Escrito por moacircaetano às 10h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



SIMPLES

O sol no céu.
O sorriso seu.
Seu sal sou eu.
És meu troféu.

Assim o destino quis...
Ilustrando a palavra "feliz"!



 Escrito por moacircaetano às 10h48
[ ] [ envie esta mensagem ]



ETERNO

Oscar, Oscar...
Te levaram pro lado de lá...

Quem sabe, num estalo divino,
não te coloquem a desenhar o destino...
ou ao menos idealizar
o caminho rumo ao paraíso?
Quem mais, velho Oscar,
teria um rascunho mais preciso?

Ou será que, como ateu convicto,
driblarás o teu próprio espírito
e continuarás vivo em algum lugar?
Tua lapiseira, velho Oscar,
talvez te salve mais uma vez...

E Deus sorriria, admirando o trajeto que você fez!



 Escrito por moacircaetano às 10h47
[ ] [ envie esta mensagem ]



SETLIST

Prepare o show da vida.
Abra com uma canção matadora, quase suicida!
Siga com um pouco de rotina, 
que é pra descansar a retina...
Mas cuidado, não deixe o ânimo baixar,
pra plateia (e você) não se dispersar...

De vez em quando, uma baladinha inocente
pr'eu buscar uma cerveja pra gente.
Ah, e claro, umas pitadas de romantismo barato,
pois sem amor e carinho é tudo muito chato!

Mas, o final, 
ah, o final...
Esse deve ser apoteótico!
Com fogos de artifício, lógico...
e com as músicas mais pauleiras,
só pancada na moleira,
que é pra sensação ser inesquecível...
absolutamente irresistível!

E como nunca se sabe se está perto do fim,
faço tudo pra que seja sempre assim!



 Escrito por moacircaetano às 10h47
[ ] [ envie esta mensagem ]



SAFADO

Confesso, sou safado!
Gosto de olhares de viés
e flertes elaborados...
Adoro indiretas, segunda intenção,
duplos sentidos, decotes e suores de verão...

Adoro abrir a porta do carro... 
sou um cavalheiro, é claro.
Mas também pra ver o movimento sutil 
das pernas e do quadril...

Adoro óculos escuros na praia,
pra poder acompanhar, de tocaia,
toda a movimentação feminina...
Haja adrenalina!

Confesso: sou um pouco tarado...
Não excessivamente!
Só o estritamente adequado,
nada muito indecente;
somente o necessário
pra não ser um reles ordinário
e aproveitar um pouco mais a vida...
tornar a paisagem colorida!

Agora podem jogar paus e pedras
enquanto tomo, tranquilo, a minha cerveja...
Comemorando deliciosamente a minha safadeza!



 Escrito por moacircaetano às 10h47
[ ] [ envie esta mensagem ]



MULHERES

Anita gosta do quase-escuro...
do jogo de sombras...
da penumbra.
Talvez inconsciente da extensão de sua beleza,
busca esconder-se entre as mãos de seu homem
e o lusco-fusco das cortinas dançando ao vento.

Suelen gosta de ficar de quatro...
Acha excitante sabê-lo apenas pelo toque das mãos
ou pela superfície embaçada do espelho.
E se lhe puxam os cabelos,
suave porém firmemente,
ela se abre ainda um pouco mais...

Muriel adora segurá-lo, em riste,
e ficar olhando, longamente.
Olha pra ele e pros olhos de seu homem
e com seus lábios úmidos, impacientes,
inicia um percurso urgente,
com toda a calma e paciência.

Geraldine espera pelo momento
em que ele enfia a cara entre suas pernas.
Enquanto ela, de olhos fechados,
expande um a um todos os seus sentidos,
suas mãos dirigem seu amante sedento
aos desvãos de sua umidade emergente.

Nathiele empurra seu macho decididamente,
imobiliza-o contra a cabeceira da cama e,
olhando profundamente em seus olhos,
sobe e desce, com movimentos profundos.
Ela ri deliciosamente enquanto ele, atônito,
descobre um universo de sensações.

E todas elas, após a culminância,
por um segundo fecham seus olhos, sorrindo,
quase como se dormissem...
Quase como se dormissem...
Deitam-se de bruços, seus cabelos descerrados...
e os pelos de suas nucas se oferecem, dádiva!



 Escrito por moacircaetano às 10h46
[ ] [ envie esta mensagem ]



ENCHANTEMENT

Tu es très, très, très... oh très jolie...
Et j'irai me promener, oh ma petite,
pour ton pays,
pour ta maison,
per toutes les rues où habite ta façon!

Il y avait une fois (oh si lointaine...)
Ah, je vivais ici seul, seulement...
Mais je t'a vue
et jusqu'ici
chaque jour est un réveil pour mon désir!



 Escrito por moacircaetano às 10h45
[ ] [ envie esta mensagem ]



BOA NOITE

Deitado no berço,
um pedacinho de mim se espalha,
sorri um sorrriso doce
e suavemente fecha os olhos.

Repleto,
quero nunca mais dormir
e ficar a vida inteira ali, olhando,
pra que nada lhe aconteça...

E cuidando pra que ele seja
sempre o melhor de mim!



 Escrito por moacircaetano às 10h44
[ ] [ envie esta mensagem ]



LONA

Ê coração danado...
artista de circo, saltimbanco levado!


Fica tocando bumbo, todo descompassado,
dando cambalhotas dentro do peito apertado.

Se equilibra na corda bamba, quase caindo,
à beira da morte e ainda sorrindo!

Botando a cabeça dentro da boca do leão,
e ainda fazendo graça... ô sem noção!

Engole fogo, anda no globo da morte,
vira bala de canhão, confia na sorte,

Abusa das loucuras acrobáticas...
Sem um pingo de medo... 
constantemente em prática
os ensinamentos de um palhaço ancião:
Viver infeliz é viver não



 Escrito por moacircaetano às 10h43
[ ] [ envie esta mensagem ]



OLFATO

Fecha os olhos... e sente o cheiro!
Ele brota, insuspeito,
de cada reentrância, de cada orifício...

Sente, sem sacrifício...
Agora mesmo ele se embrenha
nas mãos, nas pontas dos dedos,
mostrando teus mais recônditos segredos...

No hálito, nas unhas, nos dentes,
escrito nas entrelinhas...
Aproveita, ele sempre se vai à tardinha.

Balança a árvore do reconhecimento...
cairão frutas repletas de cheiros
contando tua história ao mundo inteiro!

Mas quem se importa?
Abre a porta
e deixa ele circular, livre...
Abandonnez-vous à la joie de vivre!



 Escrito por moacircaetano às 10h40
[ ] [ envie esta mensagem ]



NINAR

Dorme...
que cada dia é um novo começo...
novos caminhos e endereços!

Dorme...
que a doçura das reticências
renove nossa inocência!

Dorme...
que aquilo que importa de verdade
sempre vai subjugar a realidade

e existir sempre, infindo...
Dorme que o amanhã te espera...
Dorme e acorda sorrindo!



 Escrito por moacircaetano às 10h34
[ ] [ envie esta mensagem ]



REPARO

Cinza esse dia...
Como a cor cinza e o subproduto da aciaria ...
A meio tom entre o preto e o branco...
Ou como o que sobra após o fogo brando.

Cinza esse dia estranho...
Frio, sem graça, sem tamanho...
Que nem sapato que não cabe no pé da gente...
Que nem segunda, no fim do expediente.

Cinza esse dia sem graça...
O tempo emperra, a hora não passa...
Tudo parece não meio cheio, só meio vazio...
Água se esgueirando entre a sarjeta e o meio-fio.

Mas eu te digo, isso vai mudar...
Rapidinho!
Basta meu arco-íris quebrar
no seu caminho,
derramar poesia nas pedras da estrada,
cantar umas rimas atravessadas,
espalhar sorrisos sob os seus pés descalços
e revestir de cor esse velho asfalto!

Daí quero ver que tristeza resiste
a um poeta que já foi triste 
mas se curou um dia!

Quero ver o cinza desse dia 
sumir entre os mosaicos da euforia!



 Escrito por moacircaetano às 10h29
[ ] [ envie esta mensagem ]



FOTOTAXIA

As palavras, quando poucas,
alimentam o comprimento do silêncio,
aumentam a largura do vento,
enquanto dançam, como loucas,
as mariposas da ausência.

Com paciência,
risco uma letra, depois outra,
me fechando como ostra
até que amanheça a lucidez...

Com rapidez,
traço estratégias infinitas!
Enquanto a poesia grita
e recomeça tudo outra vez!



 Escrito por moacircaetano às 10h26
[ ] [ envie esta mensagem ]



CHAT(O)

"O que está acontecendo, Moacir"?
me pergunta o facebook...
Nada, meu caro,
não se preocupe,
sou assim mesmo, raro,
meio doce, meio amaro,
the table's on my book!

Sou assim, de ponta cabeça,
meio esquisito, reconheça...
Eu sou poeta, mas sou seu amigo,
então não ofereço perigo
(minto ao meu umbigo)...

"O que está acontecendo, Moacir"?
me pergunta minha solícita
rede social...
Nada, além da minha verdade explícita,
minha maldita memória visual,
essa música grudada nos meus ouvidos,
essas rimas procurando um sentido
e minha métrica dissonante, desigual...

Caro amigo dentro do meu computador,
não se preocupe, 
estou completamente normal,
tirante essa mistura de euforia e dor
e esse sangramento em minha veia femoral!



 Escrito por moacircaetano às 10h26
[ ] [ envie esta mensagem ]



ESTRADA

A estrada se estende à nossa frente...
tapete vermelho sobre os jardins da imaginação.
Caminho ainda não trilhado tem infinitas possibilidades.

O caminho percorrido, este não pode ser caminhado novamente
(a não ser com os pés descalços das lembranças).
Muitos tentam copiar e colar os mesmos passos.
Uns porque não erraram, e assim querem continuar.
Outros, sem motivo aparente, insistem nos mesmos erros...

(Um aparte sobre as lembranças...
sobre a força irresistível da memória:
Envenenam ou acalentam, 
entristecem ou inebriam).

Sei que o caminho se estende à nossa frente.
E é maravilhoso existirem opções.
Há um preço a se pagar por cada uma delas.

Podemos seguir em frente.
Podemos andar pros lados.
Pra trás.
Ou ficarmos, paralisados.

Eu prefiro olhar pra cima,
estender os braços pro céu azul
e voar...

A poesia me impulsiona, quase sem pensar...



 Escrito por moacircaetano às 10h25
[ ] [ envie esta mensagem ]



INCOMUNICÁVEL

Muito difícil ficar incomunicável...
Sem possibilidade de ligação telefônica,
sinal de fumaça ou outro meio qualquer...

Muito difícil achar aceitável
a vida seguindo muda, afônica,
sem poder falar com quem se quer...

Mas daí resolvi meu problema de uma forma inesperada...
Me conectei ao silêncio 
e descobri dentro de mim quem eu procurava!



 Escrito por moacircaetano às 00h20
[ ] [ envie esta mensagem ]